650_1000_cueiovine

A venda da Beats para a Apple segue rendendo. Principalmente efeitos colaterais. Falo de empresas que usaram a tecnologia e o marketing da empresa especializada em áudio, em especial, a HP e a HTC.

No caso específico da HTC, a parceria estava chegando ao fim, ainda que alguns dispositivos ainda contam com o logo da Beats. Logo, não haverá muita dor nesse divórcio. Quem revela é o próprio co-fundador da fabricante de áudio, Jimmy Iovine.

Iovine revelou na sua participação na conferência Recode que a relação com a HTC “não foi positiva, não funcionou”. Para ele, houve um choque de culturas, que não terminou bem, principalmente nos produtos frutos dessa parceria.

650_1000_htc_wp8s_red__beats_solo

Vale lembrar que a Beats foi comprada pela HTC em 2011 por US$ 300 milhões. Tal relacionamento com o mundo mobile era essencial para os fundadores da Beats, mas em 2012, os seus co-fundadores compraram novamente metade das participações da empresa de áudio que eram da HTC.

Nesse mesmo tempo, veio a ruptura do acordo com a Monster (fabricante de fones de ouvido), e a necessidade de se associar com alguma gigante, já que a Beats era uma empresa de muitos poucos funcionários (cinco, para ser mais preciso).

Entendendo o interesse da Apple, a pergunta mais lógica era “por que a compra não aconteceu antes”?

Iovine explica que a Apple e seus executivos mais importantes estava muito ocupados com outros assuntos, e simplesmente não era o momento correto. O melhor era esperar, até mesmo para que eles pagassem mais pela empresa.

Sobre a HP, já noticiamos aqui no blog que a relação entre eles e a Beats vai durar até o final de 2015. Hoje, 20% dos produtos vendidos pela HP contam com a tecnologia Beats.

Via Recode