Não resta dúvidas que Mark Zuckerberg gosta muito dos filmes de ficção científica, ou da saga Homem de Ferro. Pessoas com a capacidade intelectual e econômica do CEO do Facebook podem realizar projetos que, mesmo com muitos meses de trabalho, se mostram interessantíssimos. Como é o Jarvis.

O Jarvis é um projeto pessoal de Mark Zuckerberg, cuja ideia inicial básica era a de construir uma espécie de sistema de inteligência artificial capaz de controlar funções de sua residência.

Apesar de nascer como uma brincadeira, o Jarvis se transformou em um projeto impressionante

 

 

Para que o Jarvis aprendesse os gostos, padrões de atividades e até formas de falar e vocabulário de Zuckerberg, foi necessário criar um sistema de inteligência artificial para uma melhor interação com ele e os demais membros de sua família. Outra ideia era fazer com que o assistente atuasse como ferramenta de entretenimento.

As primeiras ideias começaram a aparecer aos poucos, e assim o Jarvis nasceu.

O assistente é capaz de reconhecer palavras simples, onde a inteligência artificial respondia com texto. Depois, o sistema evoluiu para um mecanismo muito mais complexo, especificando o cômodo, além de oferecer uma determinada interação por voz, ampliando suas características para que fosse algo móvel.

 

 

Zuck programou o Jarvis em seu computador, mas para tornar a comunicação com ele algo útil e em qualquer lugar. A comunicação teria que ocorrer via smartphone, e não em um dispositivo localizado em sua casa.

Um ponto muito interessante do Jarvis não está apenas no controle das funções da casa de acordo com os gostos de cada membro da casa, além de oferecer jogos, gerenciar a entrada de pessoas, entre outros recursos. Está no fato que Mark Zuckerberg faz uso de um sistema de reconhecimento de voz e facial, processamento de linguagens naturais e aprendizagem por reforço.

Ainda há muito para se desenvolver no Jarvis. Uma das funções que Zuck quer que ele faça no futuro é aprender sozinho, sem a necessidade de ensinar como fazer uma tarefa. Por outro lado, não se descarta que um sistema similar possa ser comercializado pelo Facebook.

 

Via Facebook