James Damore

James Damore, autor do manifesto anônimo contra as políticas de igualdade da Google, processa a empresa por sua demissão.

A Google demitiu Damore por “perpetuar estereótipos de gênero” em seu manifesto. Agora, o ex-funcionário entrou com um processo federal contra a gigante de Mountain View.

Ainda que o nome James Damore não apareça no processo, a Paul Hastings LLP, empresa que representa a Google no caso, confirma que ele é o autor da ação, mas sem entrar em maiores detalhes.

Damore afirmou publicamente que preparava um processo contra a Google, mas as duas partes falam sobre o tema. O autor argumenta que a empresa teria “tergiversado com o objetivo de silenciar as suas declarações”. Sem conhecer detalhes específicos sobre o processo, a única alegação feita é da prática de atos coercitivos ou de repressão por parte da empresa.

Revisando brevemente o caso: no último domingo (6), um manifesto de um funcionário da Google de nome Google’s Ideological Echo Chamber, se tonrou um viral rapidamente, por criticar as políticas de diversidade da empresa, alegando motivos biológicos e supostas diferenças psicológicas entre homens e mulheres como razões para a escassa presença feminina no setor tecnológico.

A Google respondeu ao manifesto de várias formas, com comunicados internos e externos por parte de Danielle Brown (nova VP de Diversidade, Integridade e Governo da Google) e Sundar Pichai (CEO).

Mas a consequência mais séria foi a demissão de Damore, que teve uma reação contundente e esperada. Veremos como o caso prossegue, e se realmente houve pressões por parte da Google contra o funcionário.

 

Via Business Insider