iPhone SE

O último relatório da Kantar Worldpanel sobre o mercaod mobile mostra os dados do segundo trimestre de 2016. Além de falar das cotas do Android, iOS e Windows, atualiza de forma profunda as vendas entre os dispositivos, ilustrando o sucesso do Samsung Galaxy S7 e o iPhone SE como um dos smartphones mais vendidos do momento.

 

Android segue crescendo, enquanto todos esperam por novos iPhones

Revisando primeiro os sistemas operacionais.

O Android cresceu em todos os mercados analisados, com maior destaque na Itália, Austrália e Japão. Nos cinco maiores países europeus, o sistema da Google alcança 76.5%.

O crescimento do Android vem principalmente por causa da queda do Windows, que segue perdendo terreno, inclusive com mais da metade de sua cota em países como Reino Unido, França, Itália, Espanha e Estados Unidos. Já o iOS acusa a espera por novos iPhones, registrando queda na maioria dos mercados, mas com pequenos ganhos no Reino Unido e França.

 

iPhone SE, entre os mais vendidos

Sobre os smartphones mais vendidos, o relatório confirma a boa saúde do Samsung Galaxy S7, que é o mais vendido no planeta, registrando 11.1% das vendas, seguido de perto do iPhone 6s (10%). É curioso ver que o iPhone SE, que parecia não ter boas vendas, entra na lista dos 10 mais vendidos, com 3.6%.

Entre os fabricantes, Samsung e Apple seguem dominantes, mas a Huawei se aproxima, com 12.5%, muito em parte por conta dos seus dispositivos com ótima relação custo-benefício, como é o caso do Huawei P8 Lite.

Outros dados curiosos? Pois não.

Na frança, a Wiko é uma das marcas mais vendidas. Na Alemanha, a Samsung tem quase 50% o mercado O Reino Unido é o país europeu com menor cota do Android, e a disputa pela liderança entre fabricantes é mais acirrada: 36,2% para a Samsung, e 36% para a Apple.

A batalha na China também está muito interessante. Lá, as marcas locais dominam, e a liderança é da Huawei, com 25,6%. A Apple está na segunda posição, com 19,7% das vendas, seguida pela Xiaomi (19%), Samsung (9%), Oppo (8%) e Meizu (5,8%).

Via Kantar