Apple

 

A Apple revelou os resultados do seu primeiro trimestre fiscal de 2017 (último trimestre de 2016), e a empresa quebra a sequência de três trimestres consecutivos de quedas nas vendas. O iPhone de novo foi o responsável, registrando recorde de receita e lucros, sendo este o melhor trimestre da história do smartphone.

A Apple revelou receitas totais de US$ 78.35 bilhões, um aumento de 3% em relação ao mesmo período do ano anterior, que foi o melhor trimestre fiscal da empresa. Os lucros ficaram em US$ 17.89 bilhões, uma excelente notícia para os investidores.

O iPhone, que representa 69% da receita da Apple, vendeu 78.3 milhões de unidades, com receita total de US$ 54.37 bilhões, um aumento de 5% nas unidades e nas receitas.

A Apple depende muito do iPhone, e dá até a impressão que a empresa se dedica só à ele. Logo, qualquer problema ou falha que afete o dispositivo vai se refletir na receita de toda a empresa.

Mesmo com os bons números, Tim Cook alerta que as expectativas de venda para o iPhone ficaram abaixo do previsto, já que a maioria espera o iPhone do décimo aniversário. Por outro lado, os analistas garantem que a boa performance do iPhone 7 no trimestre passado se deu pelo fato do Samsung Galaxy Note 7 não estar no mercado para competir com ele.

De forma surpreendente, os Macs venderam 5.37 milhões de unidades, um aumento de 1.4% em relação ao ano passado. O sucesso se centra no novo MacBook Pro, mesmo sem apresentar relevantes novidades.

Os iPads caíram 19% nas vendas, com 13.1 milhões de unidades. É o terceiro ano consecutivo de queda do produto.

E temos mais um trimestre sem notícias do Apple Watch. A Apple se nega a revelar os resultados de vendas, e Tim Coo se limita a dizer que obteve números recorde na receita pelas vendas do relógio.

Nos serviços (Apple Music, iCloud, App Store, etc), temos também um novo recorde de US$ 7.17 bilhões em receita, com um crescimento de 18% em relação ao mesmo período do ano passado.

 

Via MacStories