A espera está chegando ao fim. Depois de quase três meses do seu lançamento nos Estados Unidos, e após estar presente em 47 países, o iPhone 5 tem a sua data confirmada de lançamento no Brasil: 14 de dezembro.

O mês de dezembro era confirmado por todos os principais veículos de tecnologia (inclusive nós aqui do TargetHD), por alguns indícios que apontavam para um lançamento iminente. O primeiro deles foi a sua (relativamente) rápida homologação pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), que aprovou o smartphone poucos dias depois do seu anúncio oficial. Além disso, as principais operadoras de telefonia móvel do Brasil já estavam comercializando o chip nano SIM, compatível com o novo smartphone da Apple, e isso não era feito para atender apenas o público que estava adquirindo o smartphone pelo exterior.

Agora, a nova janela de lançamentos é confirmada pela própria Apple, onde o modelo será vendido no Brasil e em mais 49 países, em três fases. No dia 7 de dezembro, o smartphone será lançado na Coreia do Sul, e no dia 14 de dezembro, o iPhone 5 estará disponível em países como Albânia, Armênia, Bahamas, Barhein, Brasil, Bolívia, Chile, China, Costa Rica, Equador, Indonésia, Israel, Jamaica, Jordânia, Macedônia, Kwait, Malásia, Moldávia, Panamá, Paraguai, Catar, Rússia, Arábia Saudita, África do Sul, Taiwan, Turquia, Emirados Árabes Unidos, Venezuela, entre outros.

No dia 21 de dezembro, países como Egito, Madagascar, Mali, Marrocos, Senegal, Uganda, Tunísia, Vietnã, entre outros, receberão o iPhone 5, ou seja, aos 45 do segundo tempo para as compras de Natal.

Quanto ao Brasil? Com o iPhone 5 com data de lançamento confirmada, começa a temporada de especulações de valores. As operadoras ainda não se pronunciam sobre o seu preço, e ainda não há nenhuma informação se a Apple Store Brasil vai iniciar as vendas do produto ao mesmo tempo que as suas parceiras. Muitos esperam preços decepcionantes, como nos últimos lançamentos da empresa no país. A boa notícia é que, ao menos, quem queria um iPhone 5 antes do Natal, não vai precisar apelar para ir até os Estados Unidos (ou comprar nos mercados alternativos dos grandes centros) para satisfazer o seu desejo de consumo.

V