ipad-pro-mini

Todas as vezes que a Apple apresenta um novo iPhone ou iPad, sempre há algumas especificações que não agradam a algumas pessoas, deixando algumas dúvidas sobre o potencial real dos novos gadgets. O mesmo voltou a acontecer com o iPad Pro de 9.7 polegadas (ou iPad Pro Mini) e o iPhone SE.

O caso do iPhone SE foi a constatação dos 2 GB de RAM e algumas restrições de hardware que veremos mais adiante. Mesmo assim, temos um smartphone em um nível muito bom, se comparado com o iPhone 6s o que definitivamente o transforma em uma opção muito interessante para quem deseja um smartphone com tela de quatro polegadas com ótimo desempenho.

Porém, no caso do iPad Pro Mini, a Apple optou por não manter os 4 GB presentes no iPad Pro padrão, apesar de contar com o potente processador A9X. Os 2 GB de RAM não condizem com a proposta ‘Pro’ desse iPad, já que fatalmente não podemos explorar o dispositivo para uma máxima performance.

A notícia é péssima. A solução é orientada para o setor profissional, e Phil Schiller afirmou com todo o orgulho que lhe é peculiar que o dispositivo era “o substituto definitivo do PC”. Mas… com a mesma quantidade de RAM do iPad Air 2, e com um sistema operacional móvel e não um completo (como um PC possui)? Sem chance!

memoria

Ainda é preciso conferir como essa quantidade de RAM vai afetar a vida útil desse tablet, já que por mais que a Apple otimize ao limite o seu iOS, estamos diante de um dispositivo que tem a pretensão de um iPad Pro, mas com metade da memória do tablet maior. Não chega a ser uma propaganda enganosa, mas de ‘Pro’, esse tablet fica devendo. Fato.

Via SlashGear