intel-WiDi-WiGig

Durante o evento Intel Developer Forum em Shenzhen (China), Kirk Skaugen, principal responsável pela divisão Client Computing da Intel, mostrou um protótipo que é qualificado pela empresa como o primeiro do mundo que não usa cabos. O equipamento aproveita as vantagens da recarga sem fio, e pode se conectar a qualquer periférico sem a intervenção de cabos.

Para isso, eles usam as tecnologias sem fio como a WiDi, que permite a conexão com monitores que suportam esse padrão, dispensando a conexão com portas HDMI ou DisplayPort. A recarga sem fio, ainda que por enquanto seja uma alternativa menos eficiente no tempo de carga, é uma proposta a mais para que o portátil 100% sem fio seja algo factível.

 

Os fabricantes de periféricos precisam trabalhar nisso

Ainda que o produto esteja disponível par aos desenvolvedores para avaliar suas especificações para implementar as melhorias, parece que não vamos precisar esperar muito para ver um desses dispositivos no mercado: a Lenovo será uma das empresas que pode apresentar um portátil com tais capacidades nos próximos meses, com um modelo pensado na sua linha empresarial.

O modelo apresentado pela Intel durante o IDF era um tablet conversível com tela desacoplável, que também faz uso da tecnologi WiGig, que é capaz de alcançar velocidades de transmissão de até 7 Gbps, superior aos padrões WiFi atuais. O protótipo também é o primeiro a estar no padrão Skylake, a próxima geração de processadores Intel que estará disponível para os fabricantes durante o segundo trimestre de 2015, mas provavelmente só veremos produtos com esses chips no final do ano.

Por enquanto, os portáteis sem cabos não são soluções 100% práticas por conta da pouca disponibilidade de dispositivos e periféricos sem fio, mas a Intel está negociando com companhias aéreas, aeroportos, restaurantes e outros tipos de estabelecimentos para a oferta de pontos de carga sem fio. Os monitores com tecnologia WiDi ou o auge do WiGig são uma incógnita de futuro, e agora resta saber se os fabricantes de periféricos também começam a oferecer essas soluções.

Via PCWorld