Durante o Intel Editor’s Day em Campos do Jordão, SP, a Intel divulgou alguns dos resultados preliminares de um estudo de âmbito nacional, realizado pela Ipsos a pedido da empresa, sobre as tendências no consumo de PCs nos próximos 12 meses – O Nation Wide Study 2010. Os resultados apontam o mercado nacional bastante aquecido em 2010, com uma crescente demanda por novas máquinas e a tendência a um movimento de individualização do PC, fenômeno que já acontece em alguns mercados mais desenvolvidos. Com o objetivo de apontar tendências para o consumo de PCs e demais equipamentos de acesso à Internet, a pesquisa foi realizada entre agosto e outubro de 2010, entrevistou 2500 pessoas residentes em 16 praças brasileiras, como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. A amostragem abrangeu usuários de computadores das classes ABCD, com mais de 16 anos, divididos por estado de acordo com perfis demográficos.

O Brasil avança a passos largos na penetração de PCs nos lares brasileiros: 58% dos domicílios no país já possuem ao menos um computador. A penetração é maior no Sudeste com 66% de penetração. No Rio de Janeiro, 71% dos domicílios possuem ao menos um computador. Goiás e Distrito Federal (65%) e São Paulo (64%) também são estados de grande densidade. As regiões com menor índice de penetração são o Norte (59%) e Nordeste (42%). O Estado que apresentou menor penetração foi Pernambuco, com 36. Não somente aumenta o número de lares equipados com computadores, mas também aumenta o número de computadores dentro de um mesmo lar. Cada vez mais, o computador deixa de ser um item “da família”, que é compartilhado por todos os membros do lar, para tornar-se um item pessoal – que reflete os usos, costumes e personalidade do dono.

Neste cenário, o Distrito Federal se destaca tanto pela penetração (65%) quanto pelo número de pessoas que fazem uso individual do PC (35,6%). Em outras palavras, não só existem mais lares com computadores, mas também mais computadores por lares. Outros estados que apresentam maior porcentagem de uso individualizado do PC incluem Rio de Janeiro (25,9%), Minas Gerais (25,7%) e Goiás (25,3%).
Os Estados que apresentaram maior índice de uso compartilhado – onde mais de uma pessoa usa um determinado equipamento – foram o Rio Grande do Sul (91,7%), Pará (91,4%) e Pernambuco (90,6%). Os computadores nos lares são compartilhados não somente entre os membros da família residentes, mas também por visitantes: 13,3% dos entrevistados compartilha seu computador de casa com outros parentes, como primos, tios e avós, e 4,5% compartilha o computador com amigos e vizinhos.

Apesar da intensa retomada do mercado de tecnologia em 2010, a Intel espera em 2011 um ano aquecido para o mercado de desktops e notebooks no Brasil. 38% dos entrevistados declararam a intenção de comprar um computador nos próximos 12 meses. Dentre os itens de tecnologia, o desktop está no topo da lista de desejos dos brasileiros, com 15,2% de intenção de compra – mesmo número que as TVs LCD/Plasma/3D. Os Notebooks aparecem com 14,3% das intenções de compra, e os Netbooks com 2,3%.

As Regiões Norte e Sul são as que apresentam maior intenção de compras, com destaque para o Rio Grande do Sul, onde 50% dos entrevistados declarou que pretende comprar um desktop, notebook ou netbook nos próximos 12 meses. “O Rio Grande do Sul é o exemplo de região onde já existe grande penetração dos computadores nos lares, e cujo crescimento  está sendo ditado pela compra de uma segunda máquina ou pela individualização”, disse Cássio Tietê.” Outras regiões onde a intenção de compra é acentuada são o Paraná (44%), Bahia (31%), Ceará (36%) e Santa Catarina (34%).

via assessoria de imprensa