qualcomm-snapdragon

Diretores da Qualcomm planejam dividir as unidades de negócios da empresa. De um lado, ficaria a divisão encarregada pelo design dos SoC e chips de comunicações, e do outro, todo o restante da empresa.

A concorrência de marcas asiáticas (MediaTek, Samsung), que já fabrica os seus próprios chips para smartphones, é cada vez mais dura, tornando o segmento mais difícil para a Qualcomm. O objetivo dessa estratégia (se executada) é consolidar uma aliança com a Intel. Segundo a Reuters, o acordo entre as duas permitiria que a Qualcomm utilizasse as fábricas de semicondutores da Intel, e por consequência disso, promover uma redução de preço dos seus chips, aumentando a sua competitividade.

 

Intel vs Samsung

Para a Intel, uma possível aliança com a Qualcomm pode ser crucial para que a empresa de Santa Clara entre com muito mais força no mercado de chips para dispositivos móveis, já que a outra parte ainda goza de boa saúde no mercado. É evidente que a Intel ainda tem muito o que fazer nesse segmento, mas parece que eles não são os únicos a quererem os benefícios dos SoCs Snapdragon.

A Reuters garante que um consórcio asiático constituído pela Samsung e o governo chinês também estão de olho na Qualcomm, e é pouco provável que eles se sintam intimidados com os US$ 30 bilhões ou US$ 40 bilhões avaliados no negócio.

Mesmo assim, por enquanto, tudo está no ar, e não há garantias que a Qualcomm vai mesmo separar as suas unidades de negócio, muito menos fechar uma parceria com as empresas citadas no post. Ainda que o casamento Intel-Qualcomm seja um aditivo importante para o mercado dos chips para smartphones.

Vamos esperar pelos próximos capítulos.

Via Reuters