chromebook-bay-trail

Mais notícias sobre o Chrome OS. Depois da Lenovo e ASUS apresentar novos Chromebooks, Intel e Google compartilhou os seus planos conjuntos com a plataforma. Uma boa lista de importantes fabricantes compartilharam o mesmo palco em San Francisco (EUA), com o compromisso de utilizar os chips Intel para dar vida aos seus produtos.

Dois anúncios merecem destaque: os Chromebooks com Intel Core i3 da família Haswell, e os notebooks com chips Bay Trail.

Chromebooks con Intel Bay Trail: autonomia de bateria

bay-trail-chrome

ASUS, Toshiba, Acer e Lenovo são as empresas que decidiram optar pelo hardware Bay Trail. A solução da Intel se caracteriza pelo baixo consumo e baixas necessidades de refrigeração. Serão os primeiros a fabricarem Chromebooks com arquitetura x86 que não contarão com ventiladores.

A autonomia de bateria prevista pela Intel é de 11 horas em uso normal, e por conta de suas especificações de hardware, a espessura máxima desses futuros portáteis é de apenas 1.7 centímetros.

chrome-bay-trail

Obviamente, esses equipamentos serão menos pesados que os Chromebooks com hardware Haswell. Também podemos esperar algo positivo com os modelos referência e designs que podem oferecer o pequeno hardware da Intel.

Acer e Dell com Intel Core i3 Haswell: potência

Tanto Dell como Acer terão no mercado os seus Chromebooks com processadores Intel Core i3 da família Haswell, mais potentes do que os apresentados no item anterior.

chrome-i3-acer-dell

Possivelmente nos deparemos com uma versão atualizada do Dell Chromebook 11, e o mesmo deve acontecer com o Acer C720. Os dois modelos terão um preço de lançamento de US$ 349 nos Estados Unidos.

A Samsung nem é citada, já que defende a variante do Chrome OS com arquitetura ARM, e esse era o momento da Intel ser a co-protagonista. Também não apareceu nenhuma informação relativa à HP.

chrome-os-faster

Apesar do evento de ontem ser centrado no hardware e nos fabricantes envolvidos, também foram reveladas algumas novidades na parte de software, como o Google Now no Chrome, ou o suporte para filmes na Google Play sem conexão.