A relação entre BlackBerry e Android vem de longa data, mas parece que os seus laços estão se fortalecendo ainda mais, com a chegada do Jelly Bean no BlackBerry 10. Calma, a gente vai explicar melhor o que é isso.

Durante o evento para desenvolvedores BlackBerry, que está acontecendo nesta semana na Holanda (BlackBerry Jam Europe), a BlackBerry confirmou de forma oficial que vai ampliar o seu catálogo de aplicativos através da integração de aplicativos do Android Jelly Bean no seu novo sistema operacional BlackBerry 10. Não há ainda uma previsão de quando concretamente isso vai acontecer, mas o primeiro passo já foi dado, através da atualização da integração do aplicativo de adoção para o Android 2.3 Gingerbread.

Essa ferramenta para o Android permite que o desenvolvedor possa fazer as devidas modificações para realizar a portabilidade do seu aplicativo para o BlackBerry 10 de forma simples e prática, e por enquanto, está disponível para o sistema Android 2.3 ou inferior. A BlackBerry considera esse um passo essencial para poder chegar ao Android 4.0 no futuro.

Essa atualização também vai tornar a vida dos desenvolvedores mais fácil, pois ninguém vai ter que programar um aplicativo duas vezes, para duas plataformas. O plano da BlackBerry é estimular esses programadores a conhecerem a nova plataforma, e criar versões para o BlackBerry 10 dos seus aplicativos da forma menos traumática possível. A prova disso é que, quando a versão do aplicativo que cuida da portabilidade chegar ao estágio Jelly Bean, ele deve suportar todas as APIs atuais.

A estratégia da BlackBerry é bem simples: obter o maior número de aplicativos existentes na plataforma concorrente da forma mais rápida possível, pois eles sabem que um dos diferenciais relevantes nessa disputa do mercado mobile é justamente a oferta de opções para os usuários. Ninguém quer comprar um smartphone com um sistema que não entrega uma grande oferta de aplicativos. Tudo indica que a luta da BlackBerry não é só contra a concorrência, mas sim, com o tempo também. Que é um inimigo muito mais cruel que a Apple, a Samsung, a Nokia…

Via CrackBerry