Instagram-Video-800x442

Recentemente, o Instagram decidiu apostar no mundo dos vídeos. Inicialmente, a rede social se consolidou graças às fotos combinadas com filtros, que conseguiam dar um aspecto mais chamativo e melhorar assim as fotos medianas registradas pelos smartphones. Agora, em uma luta para seguir sendo uma referência no segmento de “capturas de momentos com o smartphone”, o Instagram se viu obrigado a incorporar o recurso de captação de vídeos, devido à forte pressão que o Vine já exercia.

É sempre bom lembrar que o Twitter tem como principal adversário no mundo das redes sociais o Facebook, que por sua vez, é dona do Instagram. Agora, resta saber uma coisa: como está a experiência da captura de vídeos no Instagram?

Quando o Vine chegou ao mundo, ele criou uma divisa no tipo de conteúdo oferecido entre as plataformas. O Instagram era o app para fotos, e Vine, para os vídeos. Em pouco tempo, o segundo se transformou em uma nova forma de compartilhar de forma mais simples nossas experiências pessoais com os nossos amigos e familiares. O Twitter viu que essa era uma ideia que poderia render frutos no futuro, e decidiu comprar o aplicativo. O Instagram enão se deu conta do mar de possibilidades que se abria, e desenvolveu a sua própria alternativa de captura de vídeos.

À primeira vista, a diferença que parece ser a de maior destaque é a duração dos vídeos gravados (6 segundos no Vine, 15 segundos no Instagram). Porém, alguns outros detalhes adicionais marcam as duas plataformas.

Por exemplo, a incorporação do recurso de estabilização de vídeos no Instagram é uma vantagem significativa. Nem todos instalam um tripé no smartphone para gravar vídeos tão curtos, e em dispositivos tão leves, é impossível mantê-los totalmente estáveis. Por outro lado, o Instagram ainda oferece 13 filtros, que tornam o vídeo ainda mais atraente, ou traz o contentamento visual para boa parte dos usuários com alma mais artística.

Vale a pena destacar que uma das características mais bem vindas da é a possibilidade de eliminar a última cena gravada. Tanto no Instagram como no Vine, o mecanismo para gravar vídeos é muito similar. Você só grava enquanto estamos pressionando o botão de gravação na tela.

No Vine, se você erra em algum momento, não tem como voltar atrás. O que lhe resta é apagar todo o vídeo gravado, e começar tudo de novo. Essa é uma deficiência grave, pois em muitas ocasiões gravamos eventos pontuais, que não voltam a acontecer. Além disso, o Vine oferece aquela aparência final de GIF animado, repetindo o vídeo de forma contínua, o que não é ruim, mas é menos próxima da proposta de experiência de “miniclip”.

Já o Instagram se foca no compartilhamento do momento, reproduzindo o vídeo de forma automática apenas uma única vez. Se você quer ver aquele vídeo de novo, precisa acionar o ícone de reprodução novamente.

vine

O caso Instagram vs Vine demonstra que nem sempre aquilo que chega primeiro é o melhor, ou se mantém mais tempo no topo. Na minha opinião, o Vine é uma grande plataforma, com um imenso potencial. Porém, é orientada para outro tipo de produções audiovisuais. Já o Instragram, que chegou depois, soube cobrir as carências apresentadas pelo Vine, e adapá-lo ao gosto dos seus usuários.

Uma das maiores vantagens do Instagram está na sua grande base de usuários. Levando em conta que, nas primeiras 8 horas de serviço de vídeos do aplicativo, foram enviadas uma quantidade de vídeos equivalentes a um ano de visualização, já podemos ter uma ideia da magnitude da plataforma. Uma semana depois do lançamento do recurso de gravação de vídeos, já foram compartilhados do dobro de vídeos do Instagram do que no Vine no Twitter.

Porém, nem tudo é perfeito. Muitos usuários estão reclamando que a timeline de vídeos é a mesma das imagens, e isso está aborrecendo muitos usuários. Ainda que muitos usuários esperem que isso mude nas próximas versões, isso não deve acontecer, uma vez que o objetivo do Instagram é compartilhar o mundo a partir da perspectiva do usuário, não importando a forma que utilizemos para isso. O que conta é o momento. Se é registrado em foto ou vídeo, isso não importa.

Logo, muitos podem acreditar que o Instagram está desbancando o Vine apenas por causa de sua grande base de usuários, e não pela qualidade do seu serviço. Bom, até concordo com isso. Mesmo assim, se adicionarmos o fato que o Instagram soube melhorar em alguns aspectos essa experiência de vídeos, mesmo que seja de forma mínima, temos aqui reforçado o conceito de que nem sempre aquele que chega primeiro é o melhor. Se você consegue inovar, você já conseguiu suplantar aquele que foi lançado primeiro.

Instagram e Vine são as duas opções disponíveis nesse segmento. Qual é a sua escolha?