Lembra quando a gente contou aqui no TargetHD que a AppStats havia divulgado uma análise que informava que o Instagram tinha perdido metade dos seus usuários ativos durante o mês de dezembro (se não leu, clique aqui e leia… depois, volte para esse post)? Pois bem, parece que as coisas não são bem assim. O próprio Instagram decidiu se pronunciar sobre o assunto, informando que sua taxa de crescimento nos últimos 30 dias (de dezembro a janeiro) foi de, pelo menos, 10%.

Segundo o site AllThingsD
, os números do Instagram seguem muito bons, mesmo com as mudanças nas condições do serviço anunciadas no mês passado. Desde o anúncio que, entre outras mudanças, eles poderiam ceder as fotos dos usuários para fins de publicidade (sem que os mesmos recebessem um centavo por isso), eles se mantiveram em silêncio sobre quantas pessoas deixaram ou permaneceram no serviço. Pois bem, segundo Kevin Systrom, cofundador do Instagram, existem na base do serviço nesse momento mais de 90 milhões de usuários ativos.

Kevin ainda afirma que o serviço “segue com um grande crescimento ao redor do mundo”, algo que pode ser comprovado com o registo de mais de 40 milhões de fotos enviadas para o serviço por dia. Não só isso: são mais de 8.500 “likes” e 1.000 comentários registrados pelos usuários… POR SEGUNDO!

Vale lembrar que os dados divulgados estão restritos aos usuários ativos, que constantemente utilizam a plataforma. Se buscarmos os números gerais – incluindo aqueles que não usam o Instagram a algum tempo – certamente teremos uma taxa estimada de usuários cadastrados que flutuam entre 100 e 200 milhões. Bom, se esses números não acalmarem um pouco aqueles mais preocupados com a audiência do serviço, não sabemos mais o que pode trazer a tranquilidade para aqueles que estavam temendo uma debandada geral de usuários preocupados em ver suas fotos em campanhas publicitárias.

Nem todos os dados foram revelados pelo executivo do Instagram. Por exemplo, a proporção de usuários do Android e o iOS, algo que sempre interessa aos investidores e usuários em geral. Ah, e aos Apple e Android Fanboys, que sempre buscam novos dados para debater com os seus opostos.