MacBook-iFixit

Já destacamos que o iFixit desmontou o MacBook 2016, e que uma das particularidades do processo é que a Apple colocou uma resina nos seus parafusos, que deixa indícios de uso, o que por sua vez invalida a garantia do produto. Dessa vez, vamos mostrar mais detalhes do processo de desmontagem, que recebeu a nota mais baixa possível para o seu fator de reparação.

Por ter um design tão fino e uma distribuição de componentes tão ajustada, era de se deduzir que o dispositivo não receberia mudanças em relação ao modelo anterior, e em essência isso aconteceu, salvo um detalhe positivo: o desaparecimento dos parafusos proprietários, com a adoção de um formato padrão, o que torna a vida daqueles que se aventurarem a desmontar o equipamento algo mais fácil.

Por outro lado, os aspectos negativos são vários:

– Componentes considerados essenciais como processador, RAM e memória flash estão soldados na placa, o que significa que, em caso de defeito de um deles, a reparação ficará muito mais cara, já que será preciso trocar a placa inteira.
– A bateria se encontra totalmente colada na parte de baixo da carcaça.
– Tela e cristal protetor estão unidos, o que encarece a substituição em caso de quebras.

Com todos esses detalhes, não é surpresa que o MacBook 2016 tenha recebido a nota do iFixit seja um contundente 1 em 10 (quanto mais baixa a nota, mais difícil o dispositivo é de ser reparado). O site destaca que, apesar de não contar com grandes melhoras em relação ao modelo anterior, ao menos há algo positivo: a maioria das peças e dos procedimentos de reparação se mantiveram inalterados.

Via iFixit