notebooks-dell

 

O novo relatório trimestral da IDC Brasil revelou que o mercado brasileiro de PCs voltou a apresentar queda, registrando o seu pior trimestre de vendas em 2016.

O período analisado foi entre os meses de julho e setembro de 2016, com 1.047 milhão de unidades vendidas, 35% a menos que no mesmo período de 2015, e 11% a menos em relação ao segundo trimestre de 2016.

Foram 373 mil unidades de desktops vendidos, e 647 mil notebooks, com quedas de 39% e 32%, respectivamente, em relação ao terceiro trimestre de 2015.

O IDC afirma que o mercado brasileiro de PCs está canibalizado, onde os consumidores preferem adquirir um celular com configuração robusta a um computador. Nem mesmo a Black Friday ou o Natal serviu para abastecer os estoques, que acabaram nos principais pontos de venda, postergando as compras.

Desse total, 366 mil unidades foram para o mercado corporativo, e 681 mil para o consumidor final, registrando quedas de 26% e 38%, respectivamente, em relação ao mesmo período de 2015.

As empresas estão adiando investimentos, e as compras no setor público travaram, por conta de trocas de governo, gestões endividadas e outros problemas de ordem política e econômica.

O mercado não deve melhorar nos próximos meses, mesmo com os computadores ficando R$ 105 mais baratos em média, com preço médio de R$ 2.334, 4% a menos que no mesmo período do ano passado.