De acordo com o mais recente estudo da IDC Brasil, entre os meses de abril e junho de 2017 foram vendidos no Brasil 1.243 milhão de computadores, 5% a mais do que no mesmo período de 2016.

A receita no período foi de R$ 2.7 bilhões, uma queda de 6,4% em relação ao mesmo período do ano passado, e aumento de 14% em relação ao primeiro trimestre de 2017.

Desse total, 396 mil são desktops (10% a menos do que no mesmo período de 2016), e 847 mil notebooks (+14%).

A liberação do FGTS e modelos com preços mais acessíveis (na casa dos R$ 1.000) foram fatores que ajudaram a alavancar as vendas, trazendo de volta ao mercado aqueles que não tinham condições de compra e aqueles que precisavam renovar o seu equipamento.

O estudo também revela que 68% das vendas foram para o consumidor final, com vendas no varejo de 843 mil equipamentos, um crescimento de 6% em relação ao mesmo período em 2016.

O mercado corporativo comprou 400 mil máquinas, uma alta de 3%. O preço médio dos computadores no segundo trimestre de 2017 foi de R$ 2.177, uma queda de 11%. Comparado com o primeiro trimestre do ano, o aumento no valor médio foi de 2%.

Para 2017, a IDC Brasil prevê crescimento de 1,2% na comparação com o ano de 2016. A receita deve ficar na casa dos R$ 10.3 bilhões.