IDC Brasil

 

De acordo com o mais recente estudo da IDC Brasil, o mercado brasileiro de celulares mostrou sinais de recuperação no primeiro trimestre de 2017.

Entre janeiro e março de 2017, foram comercializados 12.4 milhões de celulares, um crescimento de 25.4% em relação ao mesmo período de 2016. A receita movimentada foi de R$ 13.3 bilhões, 22,6% a mais do que no primeiro trimestre do ano passado. Já os feature phones registraram vendas de R$ 108,7 milhões, uma queda de 22%.

Para o IDC Brasil, o pior já passou. Dos últimos 10 meses, em nove foram registrados aumentos de vendas de celulares no país. O dólar em alta em 2016, as alterações na MP do Bem e o instável cenário político-econômico resultaram em estratégias mais conservadoras por parte dos fabricantes, resultando em quedas nas vendas.

No primeiro trimestre de 2017, tivemos a estabilidade da cotação do dólar, influenciando no aumento de lançamentos de marcas importantes com preços similares aos modelos do ano passado, o que estimulou as vendas. Sem falar no resgate do FGTS, onde muita gente decidiu investir em novos dispositivos.

O estudo da IDC Brasil revela também que o preço médio pago pelo consumidor brasileiro por um smartphone passou de R$ 1.179 no primeiro trimestre de 2016 para R$ 1.142 no mesmo período em 2017, com um maior aumento de vendas nos aparelhos com preço acima de R$ 1.300 (25,5%), ficando atrás apenas dos modelos com preços entre R$ 700 e R$ 999 (49%).

Para 2017, a previsão é de um aumento de 7,2% nas vendas de celulares no Brasil, com 47 milhões de smartphones comercializados e 4,2 milhões de feature phones. As estratégias dos fabricantes e a grande base de aparelhos antigos podem estimular a busca por novos modelos, impulsionando as vendas.