tablets-ipad

A IDC Brasi divulgou os dados consolidados do mercado de tablets no Brasil no terceiro trimestre de 2014. Segundo o estudo IDC Brazil Tablets Tracker Q3′, foram comercializadas 2.3 milhões de unidades no período, uma alta de 18.1% se comparado ao mesmo período do ano passado e crescimento de 18.3% na comparação com o 2º trimestre deste ano.

Foram mais de 590 mil tablets vendidos em julho, mais de 755 mil em agosto e mais de 963 mil em setembro. Depois de uma queda no trimestre anterior – motivada principalmente pela Copa do Mundo -, as expectativas de mercado se confirmam, onde apesar do fraco desempenho da economia e período de eleições presidenciais, a recuperação nas vendas foi registrada.

O mês setembro teve um ótimo desempenho em função do início do abastecimento das lojas para o período de final de ano. O Dia das Crianças, mais uma vez, foi uma data importante, mas foi na Black Friday que as vendas foram impulsionadas. Em 2014, uma demanda muito grande por parte de fabricantes e varejistas aconteceu, que fez com que o desempenho deste trimestre quase batesse o recorde registrado no 4º trimestre de 2013.

O estudo do terceiro trimestre de 2014 da IDC Brasil mostrou também que 95% dos tablets comercializados têm sistema operacional Android, que 88% dos aparelhos possuem tela de até 8 polegadas e que 78% custavam até R$ 500, sendo 51% abaixo dos R$ 300. O tablet continua sendo o dispositivo mais barato para quem quer acessar a internet e os produtos de entrada continuam se destacando no mercado.

Para 2014, a IDC Brasil prevê 17% de crescimento do mercado, com mais de 10 milhões de unidades vendidas. Já em 2015, a consultoria prevê alta de 10%. A expectativa para o ano que vem pode ser impactada por projetos de educação que serão implementados pelo governo federal.

Híbridos desembarcam no Brasil

A venda de notebooks com telas destacáveis não atingiu 10 mil unidades no 3º trimestre de 2014, mas a IDC Brasil espera um forte crescimento para os próximos anos, principalmente por conta da maior oferta de produtos de entrada. Esse ainda é um mercado novo no Brasil,e para 2015, a estimativa é que os notebooks com tela destacável receba um aumento de participação de mercado de 500%.

Via assessoria de imprensa