LG G3 Preto

A IDC Brasil divulgou os dados consolidados do mercado de celulares no Brasil no 2º trimestre de 2014. O relatório revela um expressivo aumento de vendas durante o período, incentivado pelos novos modelos apresentados pelos fabricantes.

De acordo com o estudo Mobile Phone Tracker Q2, foram vendidos 17.9 milhões de aparelhos entre os meses de abril e junho, sendo 13.3 milhões de smartphones (75%) e 4.6 milhões de feature phones (25%). Na comparação com o mesmo período do ano passado, houve aumento de 22% nas vendas de smartphones e queda de 16% nas vendas de feature phones.

O resultado foi acima do esperado, e o volume de vendas é considerado recorde não apenas no Brasil, mas no mundo todo. É a primeira vez que o Brasil entra no patamar de 13 milhões de unidades vendidas, e que o mercado mundial ultrapassa a marca de 300 milhões de smartphones vendidos. A previsão da IDC é que novos recordes de vendas podem ser quebrados nos terceiro e quarto trimestre de 2014.

No primeiro trimestre de 2014, foram vendidos 16.4 milhões de celulares. Desse total, foram 10.9 milhões de smartphones – média de 84 aparelhos vendidos por minuto – e 5.5 milhões de feature phones. Dos aparelhos vendidos, 90% possuem o Android como sistema operacional.

Os dados confirmam que a instabilidade vista em outros segmentos da TI e o baixo crescimento da economia não afetaram a categoria de smartphones. Para a IDC Brasil, quatro fatores que explicam o momento: aumento do portfólio de produtos aliado à queda nos preços por parte dos fabricantes, um maior investimento dos canais em cima desta categoria – principalmente o varejista, a inclusão deste dispositivo na MP do Bem e a prorrogação da isenção de impostos para smartphones por parte do governo, e o fator principal que é o usuário com um desejo cada vez maior em estar conectado de onde ele estiver.

Dos aparelhos vendidos no 2º trimestre, mais de 90% são Android e o ticket médio ficou em R$ 700.

Por outro lado, os feature phones seguem o seu caminho de queda nas vendas. Para 2018, a IDC Brasil projeta que essa categoria de dispositivo não chegue a 5% do volume total do mercado. Até o final do ano, a previsão é que 3/4 das vendas sejam de smartphones e apenas 1/4 de feature phones. Para ele, a chegada de produtos com preços mais atrativos e com configuração mais potente está acelerando a migração de feature phones para smartphones.

A título de comparação, em 2013, dos celulares vendidos 53% eram smartphones e 47% feature phones. Para esse ano, a projeção é de 75% de smartphones e 25% de feature phones. Historicamente, as vendas de smartphones no Brasil sempre vinham atrás da média da América Latina e mundial.

Segundo o analista da IDC Brasil, o smartphone com tela acima de 5 polegadas já são os mais populares entre os brasileiros, uma vez que eles desejam contar com telas maiores para uma interação mais cômoda com o dispositivo, principalmente para atividades de navegação na internet, acesso as redes sociais, jogos, etc. A expectativa é que até o final de 2014 sejam vendidos aproximadamente 5 milhões de phablets.

Via assessoria de imprensa (IDC Brasil)