O supersistema IBM Watson venceu o primeiro desafio de uma das mais famosas competições dos Estados Unidos, o Jeopardy!, jogo em que o apresentador dá as respostas e o participante precisa deduzir a pergunta  mais adequada.  Watson desafiou os maiores campeões de Jeopardy!, Ken Jennings e Brad Rutter, e venceu com resultados gerais impressionantes. O supersistema terminou com US$77.147 contra US$24.000 para Jennings e US$21.600 para Brad Rutter.

O desafio durou três dias (de 14 a 16 de fevereiro) e Watson empatou com Brad Rutter no primeiro dia, e venceu no segundo e no terceiro. Com a vitória, Watson ganhou US$ 1 milhão, valor que será doado integralmente para duas entidades beneficentes, a World Vision e a World Community Grid – 50% para cada uma. Para a IBM, Watson não marca uma vitória da máquina sobre o homem; é a representação de um grande passo na mudança da nossa forma de ver computadores, da imagem atual de “calculadoras” para a percepção de “máquinas que aprendem”.

Watson é a prova viva de que é possível construir um sistema que analisa a linguagem natural (da forma como as pessoas falam e pensam) e outras complexidades do idioma (como jogos de palavras, significados sutis ou trocadilhos) para assim entender o significado e o contexto. O Watson é um sistema computacional capaz de aprender para melhorar sua capacidade de responder perguntas com precisão.

Agora o jogo acabou e Watson será usado para aquilo que foi criado. Sua capacidade analítica de processar informações desestruturadas e interpretar a linguagem natural será aplicada para solucionar grandes problemas da humanidade em áreas como saúde, ciências, finanças e o futuro da sociedade.

Watson realmente pensa?
Podemos dizer que um submarino realmente mergulha? Se sim, então também podemos dizer que Watson pensa, não da mesma forma como o homem. Essa capacidade de aprender as correlações entre informações permite que o Watson não apenas assimile os dados, mas, que os interprete. Não exatamente como os seres humanos, já que o aprendizado de Watson é por meio de seleção de informação. Para essa seleção, ao invés das conexões neurais, o sistema Watson utiliza algoritmos inseridos pelos pesquisadores da IBM, que permitem que a máquina entenda a linguagem natural.

Centenário IBM
Watson é mais uma das vitórias alcançadas pela IBM ao longo dos seus 100 anos. A companhia impulsionou e muitas vezes orientou a transformação do negócio, da ciência e da sociedade. Muitas conquistas mudaram o universo corporativo e influenciaram a vida das pessoas. Confiram algumas delas no portal www.ibm100.com.

Com Watson, a IBM lança a era das “máquinas que aprendem” e mostra a expertise da companhia para se reinventar e evoluir junto com a sociedade. A estratégia Planeta Mais Inteligente mais uma vez vai mudar a forma como o mundo enxerga a tecnologia. No momento, vários projetos relacionados à segurança pública, trânsito, educação, enchentes já estão em desenvolvimento em todo o mundo e mostram que esse é o caminho.

via assessoria de imprensa