IBM

 

A IBM, uma das pioneiras em implementar o teletrabalho na década de 1980, pede para que seus empregados voltem a trabalhar em um escritório.

É uma mudança que põe fim a um processo que perdura por mais de três décadas, já que nesse momento não basta ser produtivo. É preciso ser inovador também.

E precisamos entender a correlação entre inovação e voltar a trabalhar em um escritório.

 

Todos os funcionários da área de marketing da IBM que trabalham de forma remota em outros locais ou de casa deverão voltar a trabalhar em um escritório de forma permanente.

A decisão foi tomada por Michelle Peluso, nova chefe de marketing da empresa, que está no posto desde setembro de 2016. O mais grave disso é que a decisão gerou uma certa imposição aos funcionários.

Quem vive em Nova York, San Francisco, Atlanta, Boston, Austin ou Raleigh deverão voltar aos escritórios. Quem não mora nessas cidades ou deve se mudar imediatamente, ou apresentar a sua carta de demissão.

A decisão obedece ao novo formato adotado por muitas jovens empresas que buscam motivar os funcionários com escritórios modernos, cheios de natureza e tecnologia ao redor, com espaços de entretenimento e um formato de escritório aberto, com muita luz.

 

 

O formato estimula o contato humano, a discussão de ideias e a colaboração de forma ágil e imediata, impulsionando a inovação e a criatividade.

A mudança já foi adotada nos times da Watson, e foi recebida com esperada inconformidade. Mesmo assim, os diretores da IBM estão certos que isso vai ajudar a impulsionar a nova fase da empresa.

 

Por outro lado, vários estudos mostram que funcionários que praticam o teletrabalho são mais produtivos e trabalham mais. Porém, não são tão inovadores. A chave aqui é ter um equilíbrio de tudo, mas a IBM ao que tudo indica aposta tudo na criatividade para se recuperar dos péssimos resultados financeiros registrados por eles recentemente.

No começo da década de 1980, a IBM permitiu que seus funcionários trabalhassem em casa, sempre em contato com times da empresa. Em 2009, 40% dos funcionários globais da IBM trabalhavam em casa, e o espaço dos escritórios da empresa foi reduzido em mais de 23 milhões de metros quadrados, com uma economia de mais de US$ 100 milhões anuais.

Vamos ver se a medida vai mesmo surtir frutos positivos para a IBM.

 

Via Quartz