htc-vive

 

Nem a HTC imaginava isso nos seus melhores sonhos. Apesar dos seus óculos de realidade virtual HTC Vive contar com um preço bem elevado, no primeiro dia de disponibilidade de suas reservas, eles conseguiram vender 15 mil unidades do produto em apenas 10 minutos.

São números impressionantes para um dispositivo que não é barato. O HTC Vive custa US$ 799, consideravelmente alto (e acima do seu rival direto, o Oculus Rift), em especial para uma tecnologia ainda desconhecida para o grande público. A esse preço, é preciso somar os gastos de envio, o que pode fazer com que o preço final do produto se aproxime perigosamente dos US$ 1.000.

Não só isso. O HTC Vive, como outros dispositivos de realidade virtual similares, necessita de um PC com requisitos mínimos, de modo que em alguns casos obrigará também ao usuário fazer um pequeno investimento no seu equipamento, para assim poder aproveitar de forma plena desses óculos.

Aqui fica claro que nenhuma dessas considerações foram empecilho para que aqueles que desejam entrar no mundo da realidade virtual fizessem o devido investimento. E é apenas o começo. Tudo bem que temos que aplaudir esses primeiros corajosos que estão apostando em um produto na versão 1.0, com uma grande margem de melhora nas versões seguintes, que fatalmente virão com preços mais competitivos.

Vale lembrar que o negócio da realidade virtual é algo para o futuro. De acordo com a Goldman Sachs, esse é um segmento que deve movimentar aproximadamente US$ 110 bilhões em 2020. E isso explica porque tantas empresas estão apostando na RV agora.

Via Venture BeatTwitter (Shen Ye)