glass-fbi

Mais uma vez o Google Glass é tema central de mais uma polêmica nos EUA. Um cidadão decidiu ir para o cinema de um shopping na cidade de Columbia, Ohio, usando o seu Google Glass para assistir um filme. Uma hora depois, um agente do FBI se aproxima dele e, sem nenhum tipo de aviso prévio, arranca os óculos inteligentes do seu rosto, e remove o cidadão da sala.

O “suspeito” foi posteriormente interrogado por um grupo de agentes por aproximadamente três horas. Durante o interrogatório, o cidadão foi lembrado por diversas vezes sobre a ilegalidade do ato de gravar um filme na sala de cinema, algo que o detido alega não ter feito, uma vez que o seu dispositivo estava completamente desligado. Além disso, ele apresentou a prescrição de uso dos óculos, o que indicava que ele tinha que usá-los se quisesse ver alguma coisa na tela.

O detido foi liberado, e ainda ganhou dois ingressos do cinema, em uma tentativa óbvia de “cala a boca” em relação à atitude intempestiva dos agentes (até porque os direitos do cidadão foram claramente violados).

Obviamente, a questão não está no fato do cidadão estar ou não gravando o filme dentro da sala de cinema. Só entendo que nada justifica uma atitude que beira a estupidez, como essa que foi tomada pelos agentes do FBI e pelos proprietários da sala de cinema. Além de um upgrade tecnológico, entendo que alguns seres humanos precisam ter um upgrade de posturas e atitudes. Afinal, de que vale utilizar a tecnologia quando moralmente alguns estão na idade da pedra, não é mesmo?

Via The Gadgeteer, Ubergizmo