project-hololens-microsoft

A Microsoft apresentou na BUILD 15 mais novidades sobre o Project HoloLens, o sistema que combina realidade virtual e aumentada que deixou todos embasbacados na sua primeira aparição. De janeiro até agora, o sistema evoluiu a ponto de se relacionar de forma direta com o Windows 10.

A Microsoft mostrou que o HoloLens pode ser útil em várias instâncias, como por exemplo em residências, escolas e escritórios. A empresa parece levar a sério o universo de ‘aplicativos universais’, já que o código será aproveitado pelos mais diversos segmentos.

 

Decorando sua casa com o Windows 10

A Microsoft não se contentou com o software próprio. Agora, o HoloLens pode executar o Windows 10 e seus aplicativos, apresentando uma nova forma de interagir e mostrar os elementos do sistema. O site The Verge publicou um vídeo que mostra tudo em funcionamento.

O sistema projeta janelas no meio dos elementos reais ao nosso redor, abrindo um aplicativo que pode – por exemplo – reproduzir vídeos suspensos enquanto estamos sentados no sofá da sala, ou uma conversa via Skype em outro canto da casa.

Mas a ideia não se limita a criar janelas planas no meio da sala. O HoloLens pode criar objetos vivos em 3D, que podemos rodear e interagir a partir de diferentes pontos desse objeto. E essa é a real essência do Project HoloLens.

Essas janelas e objetos podem mudar de tamanho e de destado. Também é possível fazer com que esses objetos sigam o usuário ao longo da casa, com um simples comando de voz. Algo como ‘follow me’. Além de mascotes virtuais e elementos do Windows, a Microsoft entende que o projeto deve ter uma orientação empresarial, atuando como ferramenta de produtividade.

Algumas empresas já se comprometeram a trabalhar com o HoloLens: Cleveland Clinic, Unity, Case Western Reserve University, Trimble, JPL, NASA, AudioKinetic, AutoDesk, Legendary Pictures, The Walt Disney Company, Dassault Systèmes e Sketchfab. Nas escolas, podemos por exemplo considerar uma sala de aula onde alunos e professor podem ver como um corpo humano se desmonta em partes, e sem necessitar que todos estejam na mesma sala de aula.

Na apresentação da BUILD 15, a Microsoft levou centenas de protótipos aos desenvolvedores, para que eles conheçam a experiência de primeira mão, e se sintam tentados a começar a programar para o sistema.

Sem cabos

A Microsoft reforça que todo o sistema do HoloLens dispensa o uso de cabos ou periféricos externos (câmeras, controles ou elementos de controle e sinalização) para funcionar. A conexão com computadores ou dispositivos móveis que se comunicam com o capacete é feita de forma sem fio. Vale lembrar que o capacete tem a sua própria unidade de processamento, sendo capaz de executar os aplicativos Windows sem a ajuda de outros dispositivos.