ps4-pro

O hardware obsoleto do PS4 Pro já gera críticas, principalmente pela limitação do seu potencial, por conta da GPU baseada em Polaris 10.

O pessoal do DigitalFoundry identificou que o console não é capaz de manter os 60 fps fixos em jogos como Rise of the Tomb Raider utilizando o modo com resolução 1080p e a taxa de fotogramas desbloqueada.

O jogo fica entre os 40 fps e 60 fps com a configuração acima, elevando a qualidade gráfica geral do jogo em relação à versão original do Xbox One e do PS4. Porém, não é a mesma coisa de fixar um fps.

De quem é a culpa por este desempenho ruim?

Neste caso, do processador. Um chip com arquitetura Jaguar de baixo consumo e baixo IPC a uma frequência de 2.1 GHz hexa-core (na verdade 5.5 núcleos emulando seis).

Este processador está muito abaixo de outras soluções atuais que não só contam com maior IPC, mas também trabalham com frequências muito maiores, e levando em conta o papel que uma CPU tem na hora de obter taxas de fotograma estáveis e livres de picos, o tema fica bem claro.

Outra conclusão que é possível obter é que o PS4 Pro não é um console para 4K nativo sem upscalling, já que seu hardware apresenta claras limitações, e a otimização não fará milagres nesse sentido.

Por outro lado, ao menos a Sony colocou um preço bem razoável no PS4 Pro: US$ 399.

Via TweakTown