galaxy-note-7-incendiado-aviao

 

O governo norte-americano está muito atento ao caso do Galaxy Note 7 que pegou fogo dentro do voo em Louisville, e segue a investigação do incidente bem de perto.

A intervenção governamental na investigação promovida pela própria Samsung observa para o fato da CPSC (órgão de defesa do consumidor) insistir aos compradores do Galaxy Note 7 que desligassem os seus dispositivos e aderissem ao recall, fixando a data de 21 de setembro para a chegada dos modelos modificados.

O problema é que os novos dispositivos não foram aprovados pela FCC. Agora, a comissão de segurança de produtos de consumo declarou que o governo segue esse processo de perto, analisando o que aconteceu durante o voo, onde um suposto Note 7 com problemas causou o incidente.

 

Um telefone reparado e problemático

 

A comissão de segurança se une à Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos na investigação do incidente, e as duas pretendem tomar medidas mais enérgicas, como pressionar a Samsung a novamente retirar o Note 7 do mercado.

A Samsung confirmou que não pode garantir que o smartphone que causou o incidente do voo foi um dos novos Galaxy Note 7 supostamente reparado, e que quer investigar a fundo o que aconteceu.

Tudo isso é péssimo para a Samsung, que nesse momento passa por um processo de substituição de sua junta diretiva, que precisa devolver a normalidade a este cenário. Porém, se ficar comprovado que o modelo problemático é um dos reparados, a situação se torna ainda mais grave.

Vamos esperar.

 

Via Phandroid