android-amigurumi

Receber críticas do Governo dos Estados Unidos é uma das piores formas de receber uma propaganda negativa para qualquer segmento tecnológico. Para os sistemas operacionais móveis, então… nem se fala. Pois bem, o Departamento de Segurança Nacional norte-americano demonstrou a sua clara preocupação sobre a segurança do sistema da Google, com a fragmentação e a popularidade como principais culpados.

Um recente estudo revelou que 79% dos ataques com softwares maliciosos em dispositivos móveis acontecem em dispositivos com o sistema Android. É uma porcentagem consideravelmente alta, principalmente se levarmos em conta que o seu principal concorrente, o iOS, só recebe 0.7% desse bolo indigesto. Essa diferença tão absurda nas estatísticas se explica pelo fato de muitos dispositivos com o sistema da Google ainda contarem com uma versão antiga do Android, que não são capazes de suportar as versões atualizadas do sistema.

Sem falar que, hoje, os tempos são outros. Hoje, os desenvolvedores de malwares estão em maior número e mais sofisticados no desenvolvimento de ameaças virtuais. Exemplo: o Symbian, finado sistema operacional da Nokia, quando estava no seu auge, contava com 19% de ataques maliciosos documentados. Por outro lado, o Symbian nunca alcançou os números de popularidade do Android (que hoje é de 80% de participação no mercado mobile mundial), e isso é uma faca de dois gumes para o robozinho verde.

Afinal de contas, ser o mais popular significa ter, ao mesmo tempo, uma participação de mercado muito atraente para os desenvolvedores e anunciantes, e um alvo muito mais tentador para os hackers.

Por fim, a maioria dos ataques documentados tem em sua origem o serviço de mensagens de texto, que podem instalar aplicativos ou softwares espiões em novos dispositivos. A Apple conta aqui com uma vantagem de limitar a sua tecnologia, deixando ela menos versátil, porém, mais efetivo na defesa contra ataques externos.

De fato, o governo dos Estados Unidos já tinha afirmado que o iOS era um sistema mais confiável para seus objetivos específicos, e aconselha aos usuários que façam atualizações constantes nos seus dispositivos Android. Agora, em tempos onde palavras como “privacidade”, “segurança dos dados” e “vazamento de dados” são pautas constantes da administração de Barack Obama, não é surpresa essa repentina preocupação com o Android. Muito menos para os usuários, que já sabem disso a algum tempo.

Via Gadgetos