google-telegram

ATUALIZADO EM 24/04/2016 @ 11h20: o Telegram já desmentiu oficialmente esse rumor. Clique aqui e saiba mais.

A sexta-feira começa com um rumor muito interessante. De acordo com o TechEU, Sundar Pichai (CEO da Google) e Pavel Durov (fundador do Telegram) mantiveram conversas onde a gigante da internet teria oferecido US$ 1 bilhão pela compra do aplicativo de mensagens instantâneas.

Por enquanto, nenhuma das partes confirma ou desmente a notícia, mas não devemos considerar este um simples rumor. As fontes do TechEU são duas publicações russas que revelam que a base de usuários do Telegram supera os 100 milhões de usuários, ou seja, 20 vezes menos que o WhatsApp e Facebook Messenger.

A pergunta aqui é: por que a Google pagaria US$ 10 por cada usuário do Telegram?

Além do público potencial, a Google certamente está interessada na tecnologia por trás do Telegram e, mais especificamente, no seu time de desenvolvedores. O Hangout é um excelente aplicativo e está integrado a serviços populares da empresa (como o Gmail), mas não obtém uma massa crítica necessária para se tornar relevante. Por outro lado, o Telegram não tem um modelo de receita claro, e sua estratégia é justamente seguir crescendo, até que uma empresa maior faça uma oferta de compra.

A fonte da notícia indica que Durov recusou a oferta de compra, afirmando que um acordo com a Google estava “fora de consideração”. Mas o TechEU insiste na teoria de que a toalha não foi atirada por completa, afirmando que viu como Durov conversava de forma “muito intensa” com Rich Miner (co-fundador do Android e sócio geral da Google Ventures) em um evento realizado em Barcelona.

Logo, com estas evidências, não é de se estranhar que um acordo de compra seja anunciado nas próximas horas ou dias. A Google já havia tentado o mesmo movimento com o WhatsApp, mas o Facebook ficou com o aplicativo. Tentar com a concorrência mais direta da plataforma de mensagens faz todo o sentido, levando em conta que falamos de um aplicativo com um potencial de crescimento enorme.

Vamos acompanhar os acontecimentos. Ficaremos atentos nas próximas horas.

Via Tech.EU