PlayStore_ChromeOS

A integração da Play Store com o Chrome OS pode acontecer em breve, adicionando milhões de aplicativos do Android no sistema operacional em nuvem da Google. Isso ainda não está confirmado oficialmente, mas a característica “habilitar aplicativos para executar no Chromebook” foi encontrada no código fonte do sistema e nos notebooks em nuvem por um editor do Reddit e outros usuários.

As linhas entre os sistemas Chrome OS e Android são cada vez mais difusas. A Google posiciona o primeiro no computador pessoal, enquanto que o segundo é pensado nos smartphones, tablets, smart TVs, wearables ou carros inteligentes. Não são poucos que entendem que a integração dos dois sistemas é uma questão de tempo, e no passado, a própria Google deu pistas sobre isso. Uma delas foi a nomeação do vice-presidente de engenharia do Android, Hiroshi Lockheimer, como responsável pelo desenvolvimento do Chrome OS.

Outro indício desse movimento foi o anúncio de uma iniciativa que simplifica o processo de conversão dos apps Android para funcionarem no Chrome OS, no projeto App Runtime for Chrome. De acordo com a empresa, a migração é bem simples, e os aplicativos trabalham perfeitamente em uma janela do Chrome OS.

PlayStore_ChromeOS-02

A Google tem um ás na manga para o Chrome OS ao adicionar a capacidade de rodar aplicativos e jogos Android nos equipamentos com o seu sistema operacional na nuvem. Tudo indica que desenvolver, manter e publicar dois sistemas operacionais distintos não vai durar muito tempo. A fusão dos software simplifica o trabalho dos desenvolvedores e da própria Google, simplificando também a sua estratégia de marketing e aproveitando a popularidade do sistema para dispositivos móveis para aumentar a sua cota nos desktops e computadores portáteis.

A tendência até a unificação parece irreversível. Vimos isso com o Windows 10, com o Ubuntu e também com uma maior integração do OS X e iOS. O objetivo final é o mesmo para todos: obter a capacidade de rodar o mesmo aplicativo em qualquer dispositivo, computador pessoal, smartphone, tablet ou wearable.

Vamos esperar por um pronunciamento da Google sobre o assunto.

Via Ars Tecnhica, Reddit