Aí eu pergunto: quais são os critérios? Pois bem, o Google, que controla o YouTube, perdeu na Justiça brasileira a ação movida pela família de Nissim Ourfali, protagonista do vídeo que virou um sucesso instantâneo na internet, uma vez que o mesmo mostra suas alegrias e vicissitudes dos 13 anos de idade, ao som de uma paródia de uma música do One Direction.

O vídeo foi criado para a comemoração do Bar Mizva do garoto, e foi publicado no YouTube pela própria família Ourfali, que encomendou o vídeo para uma produtora. Acontece que o vídeo fez tanto sucesso, que não só virou mais um webhit, como também se tornou um dos vídeos mais republicados e parodiados da internet brasileira.

O Google deu uma resposta “padrão” para o problema, dizendo que o YouTube era apenas uma plataforma que exibe o conteúdo postado pelos usuários, e que por isso, não poderia se responsabilizar se alguém republicou o vídeo de Nissim. Algo que é perfeitamente possível, com um simples download do arquivo convertido, e um novo upload desse arquivo baixado da web.  O resultado de tudo isso: hoje, esse vídeo pode ser facilmente encontrado na internet, e não apenas no YouTube, mas em diversas outras plataformas.

A Justiça brasileira decidiu que o Google deve tirar o vídeo de Ourfali do ar, e para cada dia de não cumprimento dessa decisão, a multa será de R$ 20 mil. O Google não se manifesta sobre a decisão da Justiça, e os advogados da família Ourfali observam que a família não quer uma indenização do Google, mas sim que o vídeo saia do ar.

Bom, pra começar, eles nem precisam de qualquer tipo de indenização. Com toda a publicidade que eles estão recebendo, pra quê publicidade, não é mesmo?

Além disso, a família Ourfali tinha vários outros mecanismos dentro do próprio YouTube para restringir o seu acesso ao mundo. Dentro das próprias configurações do usuário, você pode colocar o vídeo como privado, onde só aqueles que possuem o link do vídeo podem ter acesso ao mesmo. Também pode impedir a integração do vídeo em outros sites, e até mesmo a classificação do vídeo por outros internautas.

Agora, colocar o Google na Justiça porque o vídeo se viralizou, fez sucesso e foi republicado por milhares de pessoas? Qual é a culpa do Google nisso? E o pior: a Justiça brasileira ainda se mostra ignorante sobre como essas ferramentas funcionam no Brasil, uma vez que deu ganho de causa à família Ourfali.

Simplesmente lamentável.

Via