android-wear-topo

Uma das maiores críticas que o Android sempre sofreu era o fato dos fabricantes poderem fazer o que quiser com ele. E mesmo que no começo isso fosse algo positivo, nos últimos anos, a personalização extrema por parte do mercado se transformou em um fator que acabava com a experiência de uso. Bom, isso vai mudar, em partes. Só um pouco.

A Google tomou a difícil decisão de não permitir que os fabricantes parceiros modificassem o design dos sistemas Android Wear, Android TV e Android Auto. Com mais ênfase para o software para smartwatches e wearables, com essa decisão, sabemos que os produtos apresentados recentemente pela Samsung, LG e Motorola poderão ser sim bem diferentes no seu exterior, mas a sua interface de software serão muito similares, para não dizer idênticas.

A decisão é difícil para a Google, especialmente se levarmos em conta que, nesse momento, os dispositivos Android da Samsung representam a maior parte das vendas do Android, e os coreanos são os que mais gostam de modificar a interface dos seus produtos. Deixando de lado o que os fabricantes querem, a Google toma a decisão mais sensata para o consumidor e para o futuro do Android, pois passa a criar uma experiência de uso mais homogênea.

A mesma decisão vale para as plataformas de automóveis e televisores inteligentes, sendo que nos dois casos os fabricantes também terão que adotar o design original da Google.