Apesar das recentes notícias publicadas pelos principais veículos de tecnologia (esse blog, inclusive), o Google desmentiu hoje (25), de forma oficial, a notícia que estaria com um aplicativo do Google Maps para o iOS 6 pronto e já enviado para a Apple, esperando por uma aprovação. Oficialmente, Eric Schmidt, CEO da empresa, declara que não tomou nenhuma atitude em prol de oferecer ao iPhone 5 e ao novo iOS o seu serviço de mapas.

Mas isso não significa que o Google Maps não está disponível para os usuários do iPhone 5. Basta você fazer o jailbreak do smartphone, ou seja, utilizar um método não oficial. E, por mais que alguns (poucos) usuários do novo smartphone (que não dão o braço a torcer) digam que o Apple Maps “não são tão ruins” (nesse caso, a definição de “ruim” é algo bem abstrato), é fato que, tanto o Google Maps, quanto os concorrentes pagos contam com, no mínimo, um trabalho muito mais completo que o mapas “oficial” do iOS 6.

Eric Schmidt está nesse momento em Tóquio, e no seu discurso, existe um belo tom irônico, que até dá para ver um leve sorriso de sarcasmo no canto de boca do executivo. A seguir, a frase:

“Penso que teria sido melhor se eles tivessem ficado com o nosso serviço (…) Mas… o que a gente ia fazer? Forçar eles (Apple) a mudar de ideia? É a decisão deles.”

Schmidt também informa que Apple e Google permaneceram em constante contato em diferentes níveis, tentando fechar um acordo favorável para os dois lados, e reforça que a decisão de aceitar ou não o aplicativo do Google Maps na Apple AppStore dependia única e exclusivamente da Apple. E também confirma que ainda não fizeram nenhum movimento para desenvolver um aplicativo de mapas para o iOS 6.

O executivo também manifestou o seu desejo para que Google e Apple sigam com o seu bom relacionamento, algo que existe desde o começo do iPhone, em 2007, permanecendo com o motor de buscas padrão. Mas até mesmo a manutenção desse recurso depende exclusivamente da Apple.

Posso dizer que a decisão do Google em não mover nenhuma palha para atenuar o pesadelo dos usuários do iOS 6 ou iPhone 5, que agora são obrigados a viver com aquela porcaria oferecida pela Apple  (bom, obrigados não… sempre existe o jailbreak para isso). Não que isso vai fazer com que os usuários fiéis do iPhone abandonem o produto para adotar um telefone Android para se encontrarem no mundo, mas para fazer pressão na empresa de Cupertino, e principalmente, valorizar o seu próprio produto. Com a polêmica do “Mapsgate”, quem ganhou com isso foi justamente a empresa de Eric Schmidt, pois todos viram de forma muito clara o quanto o Google trabalhou para alcançar o seu nível de excelência em seu serviço de mapas.

E, desse modo, se a Apple resolver mudar de ideia, Mr. Schmidt pode cobrar, no mínimo, o triplo pelas suas APIs. Logo, muito provavelmente, o Google não vai fazer nada, até que a Apple, de alguma forma, venha pedir misericórdia para eles, em forma de “vamos sentar e conversar, como amigos”.

Via Reuters