Google Nexus

A Google estaria desenvolvendo uma nova linha de smartphones fora da série Nexus, que seria comercializado no final de 2016. O modelo teria um controle mais restrito sobre o design, a fabricação e o software.

São citadas fontes internas que levantam o rumor, e isso marcaria uma mudança importante em relação à estratégia da Google na série Nexus, que contou com parcerias históricas com LG, Huawei, Samsung e HTC. No final de abril, a empresa criou uma divisão de hardware própria, indicando como responsável o ex-presidente da Motorola, Rick Osterloch. Essa divisão teria como objetivo conduzir vários projetos de dispositivos, e um deles seria um smartphone criado sob o controle completo da Google, como faz hoje a Apple com o iPhone.

 

Podemos ter até um Android completamente fechado

O Android é dominante no mercado mobile, com 4 de cada cinco smartphones comercializados. Porém, a Google não está satisfeita com isso: a plataforma sofre de uma fragmentação endêmica desde o seu lançamento, e as críticas contra os fabricantes se acumulam, também pela substituição de aplicativos e serviços em favor de soluções da Microsoft.

Isso poderia gerar consequências graves. Especula-se que o Android poderia ter um código fechado ou proprietário, e um projeto interno e altamente confidencial estaria em desenvolvimento pela Google para assumir o controle absoluto da plataforma, com uma versão do Android que reescreveria o entorno de execução de aplicativos Android Runtime (ART), eliminando por completo qualquer dependência persistente da versão de código aberto Android Open Source Project.

Ainda que alguns pensem que este seria “o começo do fim do Android”, a criação de uma nova linha de smartphones fora da série Nexus aponta para essa estratégia. Já sabemos que a Samsung está apostando muito no Tizen como alternativa, e recentemente a Huawei já levantou a bola que usaria o Android enquanto ele permanecer com o seu código aberto.

Por enquanto, tudo são especulações. Não há informações oficiais por parte da Google, mas fica claro que algo está acontecendo dentro da plataforma líder no mercado mobile a médio prazo.

Via Telegraph