O Google Drive é oficial. Foi revelado antes do tempo, mas agora é um produto oficial do Google. Um pequeno memorando da divisão francesa do Google publicou hoje (24/04) em seu blog todas as funções que a plataforma possui. E aqui, apresentamos os detalhes.

O produto foi pensado para a vertente empresarial, mas que pode alcançar a todo tipo de consumidor. Não há referências aos limites para armazenamento de músicas, mas para “documentos, vídeos, fotos, Google Docs, PDFs, etc”, o limite é de 5 GB. Ainda segundo o memorando, a plataforma foi criada especialmente para permitir que o usuário possa “criar, reproduzir e trabalhar com arquivos na nuvem”, contando ainda com uma integração direta com o Docs e o Google+.

A plataforma pode ser instalada no Windows, Mac ou em um smartphone ou tablet com Android (a versão para iOS fica pendente para as “próximas semanas”), mas um destaque positivo da plataforma é que ela poderá ser utilizada por pessoas com problemas de visão, pois é compatível com um leitor de tela. Como você pode imaginar, o Google não poderia deixar de fora as suas opções avançadas de busca, permitindo a localização de resultados a partir de um trecho de testo ou uma foto escaneada. Se isso lhe parece pouco, a plataforma é capaz de abrir até 30 tipos diferentes de arquivos a partir do próprio navegador, incluindo vídeos em alta definição ou documentos do Illustrator ou Photoshop, e isso, sem precisar instalar tais programas em seu equipamento.

Os primeiros 5 GB de armazenamento podem ser expandidos para até 16 TB de espaço por usuário, em contas Premium. Preços: grátis, para 5 GB, US$ 2,50/mês para 25 GB, US$ 5/mês para 100 GB, US$ 50/mês para 1 TB, e US$ 800/mês para 16 TB. Preços válidos nos Estados Unidos.

Via Google Drive