No sábado passado, Rupert Murdoch, o magnata do mundo das notícias e do conteúdo multimídia, disse por meio de sua conta no Twitter que o Google é um “líder da pirataria”, com streamings de filmes grátis, com vendas de publicidade integrada, e para demonstrar isso, usou como exemplo o filme “Missão: Impossível”, com vários links gratuitos para o filme.

O Google respondeu a acusação, enviando um e-mail para o pessoal da CNET, explicando que trabalham de forma dura contra a pirataria, e que “no ano passado, bloqueamos em nossos resultados de buscas 5 milhões de páginas web consideradas culpadas”. Completam o comunicado dizendo que a acusação de Murdoch “não tem sentido”, e que ele estão investindo mais de US$ 60 milhões na luta contra a má publicidade.

Esta briga entre Murdoch e Google começou horas depois que a Casa Branca disse que não aprovará leis que bloqueiam os sites, por meio de modificações do sistema de DNS. Diferente do que é estabelecido pelo projeto de lei norte-americano SOPA, o Google afirma que “a melhor maneira de deter a pirataria é por meio de uma legislação que exige das redes publicitárias e processadores de pagamentos fechar os sites dedicados à pirataria e falsificação”.

Via CNET