Dan Morrill, gerente de código aberto e compatibilidade da Google, disse em blog oficial que o termo “fragmentação” não significa nada e é inútil. Explica que as “histórias de fragmentação” são dramas usados por blogs para trazer tráfego, e que tem pouco a ver com a realidade. Parece que a Google não quer entender que, se por um lado, ter o seu sistema em vários produtos de vários fabricantes é bom para popularizar o sistema, várias versões desse sistema pode facilmente confundir o público consumidor.

Eles defendem o seu ponto de vista alegando que são os desenvolvedores que controlam a compatibilidade dos aplicativos com as versões do SO. Pra completar, em entrevista ao jornal San Jose Mercury News, Andy Rubin, chefe da divisão Android, informa que as próximas atualizações chegarão um pouco mais espaçadas do que foram feitas até então. Nos últimos 19 meses eles atualizaram o Android 6 meses, mas, de agora em diante, farão duas, ou até mesmo uma atualização por ano, para facilitar a vida dos desenvolvedores.

Fonte
e Fonte