Depois de meses de rumores e especulações, finalmente chegamos ao grande dia. A Motorola Mobility é agora, de forma oficial, parte da grande família de produtos do Google.

Depois da recente aprovação das autoridades europeias, norte-americanas e chinesas, a gigante de Mountain View finalmente pode finalizar o negócio com a divisão móvel da Motorola em definitivo, e as empresas começam a revelar os primeiros detalhes desse acordo.

Apesar de todos os obstáculos, o Google adquiriu a Motorola pelo valor de US$ 40 por ação, ou US$ 12,5 bilhões. Ainda assim, o comunicado de imprensa emitido pelas duas empresas deixa claro que a Motorola Mobility segue trabalhando como uma empresa à parte, e seguira desfrutando das licenças do sistema Android como qualquer outro fabricante, ainda que (evidentemente) a manobra faz a Motorola subir alguns degraus em relação aos concorrentes. Afinal, a partir de agora, o Google tem um fabricante de smartphones e tablets “pra chamar de seu”.

Ainda não se sabe o que vai acontecer com os funcionários da Motorola após essa transação. Nas últimas semanas, rumores sobre um anúncio de demissões em massa se tornaram frequentes, o que poderia deixar claro que o pessoal do Google está mais interessado nas patentes da fabricante norte-americana do que em ser uma parceira de lançamentos de produtos com a assinatura da marca. Mas nenhuma das duas empresas se pronuncia de forma oficial.

Outra mudança importante: Sanjay Jha deixou o seu posto de CEO da Motorola, e Dennis Woodside, antigo presidente do Google nos Estados Unidos, assume o posto. Seu objetivo é fazer com que o período de transição seja o mais fluído possível.

E a pergunta que fica é: o que essa compra realmente representa para a parte que mais interessa: o consumidor?

Via Blog Oficial do Google e PRNewsWire