google-assistant

A primeira novidade anunciada por Sundar Pichai na conferência inaugural da Google I/O 2016 foi o Google Assistant, um novo serviço que na verdade é uma evolução natural do buscador da empresa e do seu conhecido “OK, Google”.

Segundo a Google, 20% de todas as buscas na sua plataforma são feitas pelos comandos de voz. O Google Assistant se aproveita disso, com um sistema de reconhecimento de linguagem natural e o reconhecimento do contexto para ir além da busca pura e simples, se transformando em um assistente conversacional, ou um secretário digital inteligente.

Pichai explicou como as buscas se transformaram em uma “experiência ambiente que vai além dos dispositivos”, e afirma que ainda que nesse momento só se utilizava as buscas no desktop e nos smartphones, eles querem ir além, indicando soluções no campo dos wearables, da automoção e da internet das coisas, onde outro produto se encaixa como protagonista: o Google Home.

google-assistant-03

A Google menciona como seus esforços na aprendizagem automática e processamento de linguagem natural ajudaram com que o reconhecimento da linguagem seja muito mais precisa agora, e isso se aplica diretamente no Google Assistant. O serviço atua por trás das buscas com contexto, e faz com que de repente o buscador se torne conversacional.

Isso significa que com o Google Assistant mostra a primeira pergunta ou busca como a base de uma conversa onde não precisamos recorrer ao primeiro termo constantemente: o Google assume pelo contexto que falamos de um mesmo tema, e que queremos nos aprofundar nessas respostas.

google-assistant-02

Por exemplo, quando perguntamos “O que temos essa noite no cinema?”, o Google responderia com uma lista de filmes em cartaz. Mas aí o usuário teria que ajustar a busca para resultados específicos. Quando dizemos “Esta noite nós queremos ir ao cinema com as crianças”, o Google Assistant cria uma nova lista de sugestões, a partir das quais é possível reservar entradas com um novo comando de voz.

O Google Assistant é compatível com um conjunto de serviços de terceiros, alguns deles bem conhecidos: WhatsApp, Ticketmaster, Stava, Spotify, Hail, Uber, MyTaxi, entre outros. A lista deve se ampliar nos próximos meses, conforme novos acordos são fechados.