Quando o Google tornou público que as duas cidades de Kansas City (no Missouri e em Kansas) seriam usadas para testes de um serviço de internet de altíssima velocidade, tudo o que pudemos fazer foi conter a nossa inveja. Mas agora que eles anunciaram o serviços de internet e TV de alta definição, temos duas alternativas: ou escancaramos essa inveja para o mundo, ou começamos a pensar em uma forma de se mudar para lá.

Todos vocês sabem muito bem que o Google apresentou ontem (26) o seu serviço de internet em banda larga, o Google Fiber, que promete uma velocidade de navegação “até 100 vezes superior” a de algumas das melhores empresas de telecomunicações dos Estados Unidos. O novo Google Fiber vai ser acessível através de um novo dispositivo, chamado Network Box, que receberá uma conexão de fibra óptica, distribuindo o sinal via Ethernet e WiFi. O grande barato disso é que, para quem escolher a versão mais modesta do serviço, com velocidade de 5 Mbps, pode receber o serviço de graça, sem cobrança de mensalidade, por pelo menos sete anos. Tudo o que precisa ser pago é a taxa de instalação, que é de US$ 300.

Mas isso não é tudo. O Google Fiber traz consigo o Google Fiber TV, que conta com mais de 500 programas de TV, que são transmitidos com uma resolução de até 1080p. Para esse serviço, o Google lançou o Storage Box, que é capaz de gravar até 500 horas de vídeo em seus 2 TB de armazenamento, e distribuir o conteúdo de vídeo através do cabo coaxial que existe em qualquer casa com TV por assinatura. Cada TV deverá ser conectada a uma TV Box, que permite o acesso ao conteúdo de vídeos, além de busca de programas dentro do serviço e em outros sistemas, como o Netflix, por exemplo.

Os usuários vão receber 1 TB de espaço de armazenamento na nuvem, por meio do Google Drive e um Nexus 7, que poderá ser usado como controle remoto. Por enquanto isso é tudo o que se sabe do Google Fiber TV, mas durante a apresentação do produto, o Google informou que melhorias estão sendo feitas no produto, como a integração com o Google+ e disponibilidade de redes para hóspedes.

Sobre o preço, eles informam que os interessados deverão pagar o preço de instalação de US$ 300, e os moradores das duas cidades de Kansas City receberão o produto de graça, já que fazem parte dos testes do serviço. Depois disso, o usuário poderá pagar pelo serviço de 1 Gbps o valor de US$ 70 mensais, ou fazer o “combo” da internet e TV por US$ 120/mês.

Vídeo do evento de lançamento abaixo.