girls who code

O Girls Who Code foi criado em 2013, e tem como objetivo expandir o acesso à ciência e computação para as mulheres nos 50 estados norte-americanos.

O grupo investe na informática K-12, ou seja, abordando as meninas que querem programar e desenvolver ciência computacional desde as primeiras idades escolares. O programa se desenvolve ao longo do ano letivo, criando um impacto direto na comunidade, onde 75% dos participantes indicam que querem ter uma aula de informática, e 65% pretendem seguir o campo da ciência da computação.

O Girls Who Code quer ensinar essas garotas a codificar e preencher as lacunas na área de trabalho, fortalecendo as economias locais e reduzindo a diferença de gênero na educação da informática K-12.

Recentemente, o grupo lançou 13 livros para meninas sobre a ciência da educação e codificação. Os primeiros livros foram lançados em 22 de agosto, e inclui um livro de não ficção, “Girls Who Code: Learn to Code and Change the World” e dois livros de ficção, “The Friendship Code”, “The Babysitters Club “ sobre codificação. Também será incluído um livro de atividades, um diário e quatro livros sobre aconselhamento.

 

 

A ideia é que as meninas aprendam a codificar, e que com esse conhecimento, consigam transformar o mundo ao seu redor. Os livros incluem conceitos de ciência da computação, com exemplos da vida real de mulheres no mundo da tecnologia.

Uma das melhores formas de estimular o interesse dessas meninas é compartilhando histórias sobre pessoas que se parecem com elas. É a primeira vez que a história da informática é contada pelas vozes femininas.

O mundo da tecnologia é o que mais entrega inovações e revoluções. Porém, as mentes que comandam esse setor ainda tem um longo caminho na promoção da igualdade de gênero.

As gigantes de tecnologia estão nas mãos dos homens, mas isso pode mudar quando as mulheres começarem a ganhar destaque. Com a iniciativa do Girls Who Code, elas podem ser muitas na liderança no futuro.

Fico na torcida para que elas tenham o sucesso merecido.