Parece que a coisa é um pouco melhor do que eu imaginava…

Começam a aparecer maiores detalhes do Zeebo, novo console da TecToy. Ele nasce de uma parceria com a Qualcomm e a Zeebo Inc, que é o braço norte-americano da TecToy. Ele tem como maior diferencial o fim da mídia física, pois todos os jogos realmente serão salvos no aparelho, via download de uma rede 3G própria, a ZeboNet3G (parceria com a Claro). O objetivo desta iniciativa é, obviamente, combater a pirataria.

Cada jogo deve custar, em média, R$ 19,90, e pode ser pago de diversas formas: cartão de pontos do Zeebo, cartão de crédito, cartão pré-pago, entre outros.

Por que poderíamos comprar o Zeebo?

O apelo de possuir um produto legalizado e com precos acessíveis é o primeiro ponto. Depois, um modelo de compra inovador, pois aqueles que já tem a cultura de baixar músicas e filmes, obviamente, vão querer baixar jogos. Além disso, o controle do Zeebo (que eu digo desde já que é meio estranho e grande, vendo de longe) possui o acelerômetro, coisa que o PlayStation 2 não possui (e é contra o PS2 que o Zeebo vai disputar mercado).

A TecToy, porém, avisa que este não é um videogame para os gamers. Como coloque no meu post anterior, eu imagino que ele seja algo próximo à aquilo que o PSOne oferecia em termos de desempenho, gráficos e entretenimento. E o público infantil é o alvo deles. O console receberá diversas adaptações de jogos já existentes para várias plataformas e diversas tecnologias futuras dentro das características de hardware que ele já possui.

Previsão de lançamento para o Brasil apenas no primeiro trimestre de 2009, onde eles esperam contar com um catálogo de 50 jogos até o Dia Das Crianças do ano que vem. Preço estimado de R$ 599,00.