10.200 baterias do Samsung Galaxy Note 4 estão sendo retiradas do mercado, sob o risco de superaquecimento, o que pode ocasionar em queimaduras ou incêndios.

Essa medida é bem diferente daquela que a Samsung tomou com o Galaxy Note 7 no ano passado, que tinha uma falha de design. No caso atual, o problema é bem mais limitado, e a Samsung nem leva a culpa.

Só foram afetadas as unidades do Galaxy Note 4 recondicionadas pela operadora norte-americana AT&T e com envio gerenciado pela FedEx. Alguns dos telefones recondicionados receberam baterias falsas com anormalidades que podem resultar em um superaquecimento.

 

 

O Galaxy Note 4 possui uma bateria substituível, de modo que não será um transtorno para os usuários substituir o item por um novo. Apesar de ser um smartphone com três anos de vida, as unidades afetadas com o problema são da última leva de envios, entre dezembro de 2016 e abril de 2017.

Até agora não foi relatado nenhum caso de superaquecimento ou danos por essas baterias. Mesmo assim, a Comissão de Segurança de Produtos de Consumo dos Estados Unidos pede aos usuários que deixem de utilizar essas baterias imediatamente.

 

Via The Verge