google-now

A recém chegada de Sundar Pichai ao posto de CEO do Google já tem uma primeira missão: salvar o Google Now. O assistente de voz se transformou em uma referência no seu segmento, mas ficou sem parte dos seus desenvolvedores que trabalhavam em suas características no Google.

O assistente agora faz parte do departamento de buscas do Google, depois da petição de Amit Singhal, responsável dessa divisão de produto. Tal mudança aborreceu a vários engenheiros da empresa, e esse foi um dos motivos para a demissão de vários deles. O Google Now pode potencializar o negócio de buscas, fortalecendo a rentabilidade da publicidade, mas nem todos conseguem ver com bons olhos esse novo foco.

A característica Now On Top que a Google apresentou na I/O era uma das mais esperadas pelos usuários, mas sua integração no Android Marshmallow ainda vai demorar algumas semanas para chegar aos dispositivos Nexus (e vários meses para os demais dispositivos).

Isso fez com que outros se antecipassem ao Google. A Microsoft apresentou a opção ‘Snapshots On Tap’ em uma versão atualizada do Bing para Android, que basicamente fazia o que o Google havia mostrado em maio. O funcionamento é bem simples: uma vez instalado o aplicativo, ele permite que, ao pressionar por alguns instantes o botão de Início do smartphone, sejam exibidos alguns resultados relacionados com a página web visitada, ou com a parte do aplicativo que estamos utilizando.

A Apple também não dormiu no ponto, e anunciou a algumas semanas que o iOS 9 vai incluir melhorias proativas para o Siri, que também pode eclipsar as virtudes do Google Now.

A essas alternativas, soma-se o fato da Google querer que os desenvolvedores que usam o Now on Tap registrem os dados coletados e compartilhem com eles, enquanto que a Microsoft tomou uma postura mais aberta, oferecendo mais liberdade aos desenvolvedores.

O debate e o fato que vários membros da equipe do Google Now abandonaram o barco – vários deles deixaram a empresa em março – faz com que o futuro do assistente pessoal do Google seja muito incerto.

Via Re/code