Spark 20140822084223

A Fundação Telefônica Vivo realiza, nos próximos dias 27 e 28 de agosto, na Casa das Caldeiras, o R.I.A. Festival, evento sobre cultura digital que pretende estimular a Reflexão, Interação e Ação sobre a relação da juventude brasileira com o ambiente online. Personalidades do jornalismo, filosofia, psicologia, ciência e artes marcarão presença, como o apresentador Serginho Groisman; a filósofa Viviane Mosé; o educador americano David Baker, da The School of Life; Bruno Torturra, do coletivo Mídia Ninja, entre outros.

Nesta segunda edição, por meio de palestras e ações criativas, o objetivo é discutir comportamento, empreendedorismo, educação, ativismo e como, através da cultura digital, os jovens estão transformando o mundo real. Tudo com base nos dados da pesquisa Juventude Conectada, que será lançada oficialmente no evento. O estudou foi realizado pela Fundação Telefônica Vivo em parceria com a Escola do Futuro – USP, IBOPE Inteligência e Instituto Paulo Montenegro.

Convidados nacionais e internacionais participam dos debates que serão realizados em quatro grandes painéis, de acordo com os eixos da pesquisa. No primeiro dia, Eu on = eu off? – Comportamento na era digital terá mediação do apresentador Serginho Groisman e participação de Marcia Tiburi (filósofa), Ronaldo Lemos (especialista em cultura digital) e David Baker (The School of Life). Sobre empreendedorismo, acontece o painel Você é o dono do trampo – Empreendedorismo como estilo de vida, com a presença de Eduardo Seidenthal, Marcelo Rosenbaum, Nathalie Trutmann e Eduardo Lyra.

No segundo dia de encontro, a filósofa Vivane Mosé, o jornalista André Gravatá e Seth Schoenfeld (CEO do Escritório de Inovação do Departamento de Educação da cidade de Nova York) conversam sobre uma Educação de última geração – Como a Tecnologia Transforma a Educação Dentro e Fora da Sala de Aula. Já Bruno Torturra, do Mídia Ninja, Jeremy Heimans (Avvaz), Carla Mayumi (BOX 1824) e Rodrigo Bandeira (Cidade Democrática) fazem parte do debate Qual é a sua bandeira? – A tecnologia a serviço da mobilização social, mediado por Rosana Herman.

 

O festival online do mundo real

O R.I.A. foi pensando de maneira a propiciar a interação e conexão entre pessoas, a fim de promover a troca de ideias que resultem em transformações. O público presente será convidado, por vezes, a vivenciar uma experiência offline com o intuito de entender o mundo online – e vice-versa. O objetivo é transformar boas ideias em ação, com oficinas de programação e até meditação.

Durante os dois dias, ações criativas e inusitadas estarão à disposição aos inscritos. Serão realizados ateliês de escrita criativa (Patsy Cecato); artes cênicas; curta-metragens (Festival do Minuto); grafitti (Mundano); poesia (Sergio Vaz); Crowdfunding (Catarse); escuta ativa (Claudio Thebas); design thinking e muitas outras. A descrição e inscrições para cada oficina estão disponíveis no site do evento.

Por meio da Wayra, aceleradora de startups do Grupo Telefônica, será realizado, ainda, um Hackathon com concurso de aplicativos. Os jovens presentes serão desafiados a encontrar soluções digitais para problemas sociais e colocá-las em prática. O festival contará, também, com urnas para recolhimento de celulares antigos e de notas fiscais, que serão digitalizadas e o benefício fiscal, repassado para ONGs apoiadas pela Fundação Telefônica Vivo. O objetivo é ser social e sustentável. Com isso, as lonas e outros materiais de cenografia serão ainda reutilizados.

Para quem não conseguir comparecer ao R.I.A. Festival, os painéis também serão transmitidos ao vivo por meio de streaming e estarão disponíveis na língua brasileira de sinais: www.fundacaotelefonica.org.br/riafestival

#vemproRIA
Dias 27 e 28 de agosto, na Casa das Caldeiras, Avenida Francisco Matarazzo, 2000.
Inscrições gratuitas no site.
fundacaotelefonica.org.br/riafestival
Vagas limitadas.

Via assessoria de imprensa (Fundação Telefonica Vivo)