Já que o carro é uma paixão nacional, presume-se que dirigir é uma necessidade. A prova disso é que aumenta a cada ano o número de jovens que trocam seus carrinhos de brinquedos por carros reais. No entanto, é difícil saber exatamente de que forma eles dirigem nestes primeiros quilômetros rodados. No intuito de auxiliar os jovens a terem hábitos mais responsáveis ao volante e também tranquilizar seus pais, a Ford disponibiliza o sistema MyKey, ideal para quando o carro é utilizado por motoristas jovens ou com pouca experiência.

O sistema permite configurar a chave reserva para uma série recursos como limitar a velocidade máxima, o volume do áudio e impedir que o motorista desabilite equipamentos de segurança, como o controle de estabilidade. Além disso, o sistema dispara alertas de uso do cinto de segurança, nível de velocidade e combustível na reserva.

A chave configurável MyKey já está presente em 6 milhões de carros no mundo. No Brasil, além do Fusion e do Edge, o equipamento é oferecido como opcional no New Fiesta 2014, o primeiro carro compacto do país a contar com esse tipo de recurso.

O sistema é programado facilmente pela tela do sistema SYNC e oferece diversas opções:

– Alerta persistente de uso do cinto de segurança: emudece o som do áudio e soa um aviso para que o cinto seja atado. O painel também exibe uma mensagem: “Afivele o cinto para ouvir o rádio”;
– O volume do sistema de áudio por ser limitado a 44% da potência máxima;
– A velocidade máxima do carro pode ser limitada a 128 km/h, junto com o disparo de alertas sonoros quando ele atinge as faixas 70, 90 e 100 km/h;
– A função “não perturbe” permite bloquear a entrada de chamadas no celular e mensagens de texto, quando o celular está pareado com o sistema de conectividade SYNC. As chamadas são direcionadas para o correio de voz e as mensagens de texto guardadas na memória;
– Além dos avisos usuais quando o combustível disponível no tanque atinge a autonomia de 40 e 80 km, o sistema MyKey permite que um alerta extra seja disparado quando a autonomia chega a 120 km.

Exemplos

Mesmo com tecnologia de ponta, nada substitui os bons exemplos. Pesquisa do programa Ford’s Driving Skills for Life (FDSL) confirma que adolescentes tendem a copiar o jeito de dirigir de seus pais. Mais de três quartos dos jovens entrevistados declararam confiar fortemente nos conselhos de seus pais quando começam a dirigir.

Baseado em uma série de pesquisas e estatísticas, o FDSL preparou dicas para pais com filhos que já dirigem ou que estejam prestes a tirar sua primeira carteira de habilitação:

Faça parte do processo de aprendizado. Conforme o momento de obter a habilitação for se aproximando, converse com o jovem sobre o ato de dirigir, abordando temas como direção defensiva e prudência. Deixe claro que comportamentos de risco ao volante não serão tolerados.

Use o cinto de segurança. Além de o uso ser obrigatório por lei, jovens tendem a não utilizar o cinto de segurança quando seus pais não o fazem. Em um acidente, uma pessoa que não esteja com o cinto de segurança afivelado corre muito mais riscos de se lesionar com gravidade e até mesmo de ser morto do que alguém que esteja usando o cinto de segurança.

Nunca corra. Pesquisa feita pelo FDSL aponta que quando os pais costumam correr, a probabilidade de que seus filhos adolescentes faça o mesmo é muito grande. O excesso de velocidade é fator decisivo em um terço dos acidentes automobilísticos fatais ocorridos nos EUA.

Não dirija distraído. Ao estabelecer uma regra de “sem distrações no carro” e segui-la, os pais deixam uma mensagem clara para os filhos de que distrações a bordo não serão toleradas.

Não “cole” no carro da frente. Os pais devem manter uma distância segura do carro da frente, para que os filhos sigam o exemplo. Colisões traseiras são muito comuns, apesar de facilmente evitáveis.

Fique atento aos arredores. Os pais devem lembrar aos seus filhos adolescentes de que eles devem estar sempre atentos ao que acontece nos arredores, olhando sempre para os lados enquanto dirigem.

Limite o número de passageiros. Pesquisas apontam que apenas um passageiro adicional pode ser suficiente para distrair um jovem motorista, aumentando exponencialmente o risco de acidentes.

Nunca beba e dirija. Os pais devem alertar os adolescentes que a mistura de direção com bebida não será tolerada. E dar o exemplo.

Via Assessoria de Imprensa