iPhone

Muita gente faz isso: forçar o encerramento de aplicativos no smartphone uma vez que ele não é mais necessário, na crença de que tal medida via consumir menos recursos e aumentar a duração da bateria.

Para os usuários do iPhone, isso não adianta nada. Craig Federighi respondeu isso em março de 2016, diante da pergunta de um usuário do smartphone da Apple.

O debate foi ressuscitado por John Gruber no blog Daring Fireball, com o irônico título “Anúncio de Serviço Público”, em um artigo extenso sone ele tenta (não sei se com muito sucesso) explicar que tal prática não só não ajuda, como pior as coisas.

Gruber se refere à particularidade do iOS em congelar completamente um aplicativo aberto, deixando o mesmo em segundo plano sem consumir recursos. Ao que parece, tal detalhe não é crível para uma boa parte de usuários, que seguem encerrando os apps, na crença que isso pode agilizar as coisas.

Se as palavras de Federighi não te convencem, o blogger sugere revisar os testes de velocidade diante dos seus rivais que deixam os apps congelados em segundo plano, e verá que o desempenho é basicamente o mesmo daquele que insiste em fechar os aplicativos.

De forma desnecessária, repito.

 

Via Daring Fireball