firefox

O Firefox 57 está chegando, e representa uma excelente evolução para o navegador da Mozilla, pela chegada do suporte ao multiprocesso e melhorias de desempenho destacadas, além de uma profunda mudança na interface.

Ou seja, esta não é apenas mais uma versão cumulativa do novo navegador. É uma nova fase do desenvolvimento do Firefox. É um contra-ataque direto ao onipresente Chrome.

Porém, será que os resultados finais afetam o Chrome no desempenho? Os testes mostram se a atualização consegue equiparar o software ao líder de mercado em termos de desempenho.

Antes, alguns detalhes:

– Foram utilizados nos testes as soluções Basemark Web e BrowserBench, as mais avançadas e completas no momento.
– As versões avaliadas foram a Firefox 57 e o Chrome 62, ambos em beta e não estáveis, mas com as melhorias técnicas já implementadas.
– Os resultados desses testes não são 100% confiáveis. Eles variam de acordo com o cenário (configurações de PC, do navegador, etc) e as pontuações refletem vários parâmetros, incluindo velocidade na hora de executar elementos web.
– Ou seja, os testes não correspondem a experiência do usuário final, mas servem de parâmetro para um potencial de desempenho final.

Dito tudo isso, os resultados não deixam dúvidas: o Firefox volta com energias renovadas, mas o Chrome não dá respiro. Em teoria, o primeiro ainda não alcança o segundo. Mas se aproximou a ponto dos dois começarem a competir de forma real e imediata. E estamos apenas no começo dessa competição.

A seguir, as imagens dos resultados (na ordem, das ferramentas: Basemark Web, ARES-6, MotionMark, Speedometer e Jetstream).