650_1000_firefox_os

A Mozilla apresentou na Mobile World Congress 2015 os seus avanços com o Firefox OS, sistema operacional móvel que toma como base toda a potência da web.

Esses avanços passam, sobretudo, pela colaboração de outras empresas interessadas, que ajudarão a Mozilla no lançamento de produtos nos mercados da África e do Oriente Médio, com telefones que prometem ser muito acessíveis para a população, além de facilitar ao máximo a conexão com a internet.

Um exemplo desses esforços combinados está no Orange Klif, fabricado pela Alcatel, que será vendido por 35 euros e vai oferecer seis meses de dados e chamadas incluídas, incluindo mensagens SMS.

650_1000_orange_klif

Outra proposta nesse segmento é o Runcible, primeira aposta da empresa Monohm, em um conceito jamais visto: um smartphone circular, com carcaça de madeira.

A Mozilla também destacou suas iniciativas para expansão do Firefox OS para outras plataformas, como televisores ou tablets. Mas o foco principal continua a ser os smartphones acessíveis para mercados selecionados.

O sistema operacional também segue sua evolução. O Firefox OS está com um melhor suporte para smartphones com vários núcleos no processador, melhor compatibilidade com o protocolo WebRTC (para videochamadas entre navegadores sem a necessidade de complementos de software), integração com idiomas que se escrevem da direita para a esquerda, e plataforma de pagamentos via NFC.

1000_1000_kddi_fx0

Por enquanto, a Mozilla deixa de lado a ideia de expandir sua presença em mercados mais potentes. Seus modelos terão especificações baixas, com interfaces com tempo de reposta reduzido, que podem ter apenas dois ou três aplicativos abertos ao mesmo tempo.

Outro ponto importante é que o Firefox OS quer que o WhatsApp esteja presente na plataforma. Afinal de contas, um smartphone sem WhatsApp tem chances muito reduzidas de prosperar. E ainda assim, o sistema está presente em 40 países, com 14 dispositivos lançados.

A Mozilla cresce com o sistema, mas em um ritmo não tão ambicioso como acontece nas demais plataformas. O objetivo deles é oferecer uma internet aberta e acessível, onde o maior número de pessoas pode aproveitar seus benefícios.