Todos os grandes desenvolvedores de browsers para internet resolveram atualizar seus produtos. A Mozilla não quis ficar para trás, e lançou a nova versão do Firefox. O segundo navegador de internet mais usado do mundo chegou à sua versão 4, depois de quase dois anos de desenvolvimento. Abaixo, vamos ver as principais novidades desse novo navegador, que chega com o objetivo de recuperar terreno perdido para os adversários.

O novo navegador promete ser mais rápido na sua execução, carga de páginas e aplicativos, uma vez que usa o compiler JägerMonkey JIT e o suporte para reprodução de gráficos WebGL. Outra novidade é que a aceleração gráfica agora está disponível para os dispositivos Mac, graças ao OpenGL. Antes, ela estava presente apenas no Windows. Outra melhoria foi no suporte aos vídeos em Flash. Na prática, tudo foi feito para que o navegador tivesse um desempenho mais rápido como um todo, uma vez que uma das queixas dos usuários é que as últimas versões se tornaram pesadas, a ponto de causarem travamentos e consumo excessivo de memória do computador.

O design do Firefox 4 foi bem modificado, apostando em uma proposta de contar com textos no lugar de ícones para cada uma das funções. A tática foi adotada pelo Opera no passado, e pode facilitar a vida do usuário, uma vez é mais fácil identificar o comando de um navegador por texto do que por ícones. O sistema de abas também foi modificado, ficando agora acima da barra de endereços (URL), lembrando o que vemos no Google Chrome. Outro detalhe, é que em cada aba nova aberta, uma pequena animação é gerada, tornando a interface mais amigável. Além disso, temos como novidade o botão App Button, na parte superior do navegador, que oferece ao usuário um acesso rápido aos comandos do navegador.

O novo Firefox 4 conta com o motor HTML 5, o que o torna mais rápido na sua inicialização. O novo motor promete carregar as páginas web de forma mais rápida, principalmente as que possuem animações, vídeos e serviços online. As configurações de extensões do navegador foram remodeladas, agora, ficando todas em uma página com aparência semelhante à uma página web. A galeria de plugins ficou bem amigável e intuitiva, facilitando seu uso e configuração, inclusive dispensando a necessidade do internauta visitar o site de plugins da Mozilla para instalar seu recurso preferido.

Por fim, o Firefox 4 ainda conta com um melhor recurso de gerenciamento de addons e suporte à transições do CSS 3, além das novas App Tabs, que permite que o usuário armazene aplicativos na barra de abas, como e-mail e calendário. Ou seja, com tantas novidades, vale a pena ao menos fazer um teste do Firefox 4, para saber se ele pode concorrer com as novidades dos adversários.

Para fazer o download do Firefox 4, clique aqui.